domingo, 1 de fevereiro de 2015

(Texto transcrito do Facebok e enviado pelo leitor Roy)

"

Mto interessante, não deu nos comentarios

Roge myl
Para
eu
Jan 29 em 7:46 AM
·                    Liberal         Bom dia! John Galt está em Miami. Texto de Paulo Figueiredo Filho, diretor do Instituto
    
Na política, dizem que não há melhor pesquisa qualitativa do que uma conversa com um taxista. A minha versão pessoal é o meu cabelereiro – ou barbeiro, na tradução heterossexual. Talvez por isso, eu converse com tanto interesse com o sujeito que apara minha cabeleira há uns 15 anos em um salão bacana na orla do Rio. Em nosso último bate papo, me chamou a atenção que ele se queixava da perda de vários clientes fiéis por um motivo: estavam todos se mudando do Brasil.
O mesmo assunto dominava o jantar no fim de semana na casa de um amigo na Barra da Tijuca, dos presentes, entre executivos, empresários e escritores, quem não estava de mudança do Brasil, invejava os demais. E assim tem sido, de forma cada vez mais frequente, amigos, fornecedores e até concorrentes me confidenciam que deixarão o Brasil, sem data para voltar. O motivo principal varia, muitos citam a violência, outros a bolivarização do ensino e da mídia, e tantos demais mencionam o inóspito ambiente para negócios, mas o pano de fundo é sempre o mesmo: A completa falta de esperança no Brasil.
O fenômeno inclusive me parece generalizado, mas, para evitar o terreno subjetivo, me sinto obrigado a citar exemplos reais. Em meu ramo, mesmo com toda a pujança, recebi a notícia de que a Host Hotels (dona de diversos hotéis no mundo, inclusive os da rede Marriott no Brasil), ao final do ano passado, fechou o escritório do Brasil e cuidará de seus interesses remotamente, de Miami. Algo parecido aconteceu com a gigante Starwood Hotels (dona das marcas Sheraton, Meridien, W, dentre outros), que também cerrou seu escritório de desenvolvimento no Brasil. Ainda digna de nota, foi a verdadeira história recente de outro projeto de hotelaria de altíssimo luxo, cujos investidores – que estão habituados a projetos no Caribe, Angola e Senegal – deixaram o país e encerraram os seus investimentos por aqui com a melancólica frase: “Fuck Brazil!”. Preferiram abandonar as obras pela metade e assimilar um prejuízo multimilionário a permanecer no país que, ainda nas palavras deles, “tem o ambiente de negócios mais hostil que já viram na vida”.
Independentemente de exemplos pontuais, desafio o leitor a examinar sua rede de relacionamentos e me jurar que não conheça alguém que esteja deixando o Brasil. O destino geralmente é Miami (“o Rio de Janeiro que deu certo”), mas pode variar. O importante é que em minha vida, não consigo me lembrar de um fenômeno deste tipo e nesta magnitude, incluindo o grande êxodo de cariocas após a onda de sequestros no início dos anos 90.
Mas o que me causa grande preocupação, não é propriamente a quantidade de pessoas que tem ido embora, mas a qualidade do material humano que nos deixa. Estamos perdendo alguns dos nossos melhores empresários, advogados, engenheiros, cientistas e até intelectuais. Em outras palavras: estamos perdendo aqueles que carregam o Brasil nas costas.
É impossível não estabelecer um paralelo com o livro da filósofa Ayn Rand, “A Revolta de Atlas” (também publicado com o título “Quem é John Galt?”). Para quem não leu o romance (leia), trata-se de uma distopia onde, em um país controlado pelo governo e, em uma sociedade dominada pelo relativismo e pelo coitadismo, todos os melhores cidadãos produtivos resolvem desistir de seus ramos e se exilar secretamente em um território inalcançável. Não estarei estragando nenhuma surpresa ao dizer que a massa que fica passa a pedir mais intervenção do governo, que é, naturalmente, absolutamente inútil. Não restava mais ninguém de quem a riqueza pudesse ser sugada e todo o sistema entrava em colapso.
Nada disso aparece em alguma estatística do IBGE, nas projeções do IPEA ou mesmo no relatório Focus do Banco Central. Entretanto, metas de inflação, ajustes no orçamento, PACs, estímulos pontuais a setores, empréstimos do BNDES, regulamentações, programas de distribuição de renda e todas as ações que o governo brasileiro conseguir inventar não surtirão nenhum efeito se aqueles que carregaram o Brasil nas costas até hoje, não estiverem mais aqui para fazê-lo. Como andam dizendo, o último que sair não precisará apagar a luz, pois já não haverá energia elétrica".



14 comentários:

teresa58 disse...

O texto fala de empresários;prof, liberais, mas estou ha 16 anos no Japão e sou mão de obra - ainda- desqualificada. Faço os serviços que o japones não quer fazer, o serviço pesado, sujo
ou perigoso. O perfil dos que chegam mudou. Estão chegando universitarios, gente qualificada, não como chegava nos anos 90.
E ninguem dos que conversei vem pra fazer o pe de meia e voltar. Estão chegando para ficar e rever o Brasil , apenas em ferias.Outros, vão seguir viagem, Canada ou Australia. Trsite,mas uma nova realidade.

Homero Moutinho Filho disse...

Teresa58.

Verdade. Minha ex-companheira foi viver no Japão, onde já estavam o filho dela e as netinhas japas, desde 1999. Fechou a empresa e a loja que tinha no Rio, é professora trilingue com pós e foi contratada para dar aulas lá.Eu tb planejo sair do Brasil em breve.

Anônimo disse...

Ola Homero

espero q este breve seja longo

distante continues com o blog

Anônimo disse...

Homero, tenho esse temor, acho que nada acontece é como se uma nuvem invisível com efeito paralisante tivesse tocado a todo mundo, será que é o efeito celular, aqueles que não conseguem fazer mais nada além da redes sociais, achando que o outro resolverá a questão, tenho saudade do nosso tempo erámos bem mais atuantes e a imprensa que não divulga, não mostra nada, como estamos precisando de alguém com aquilo roxo, participante sem lorota, falar com firmeza convencer o povo que nós é que temos agir, acho que estou querendo demais.
Abs
Nininha

Anônimo disse...

segundo os espíritas esta ocorrendo

um FAXINÃO no mundo material

esta onda de violência se deve

a última oportunidade dos espíritos mais violentes reencarnarem

Zenobia Collares Moreira disse...

É muito triste ver a destruição que o governo petista fez e continua fazendo no Brasil. Não temos água, a energia está ameaçada, os preços dos alimentos sobem assustadoramente, enquanto a roubalheira rola solta nas estatais. E ainda temos que conviver com a violência... Lembro de seus textos advertindo sobre as coisas muito ruins que poderão acontecer no planeta. Deus que nos acuda!

Anônimo disse...

Dia 15/03/2015 Domingo, em todo Brasil vamos as ruas, pacificamente, pedir o impeachment da Dilma.
Quem quiser vista roupas amarelas e/ou vesdes e pintem seus rostos. Vamos fazer história novamente.

Anônimo disse...

Oi Homero, sou contra a esquerda e contra a Dilma , mas vi este comentario no facebook e copiei e colei ele aqui pra voce dá uma olhada e tirar alguma conclusão : van Leal Brito ribas vou colar uma resposta q redigi agora a pouco pra sheila em outra postagem- particularmente sempre votei nas esquerdas,30 anos, e o pt é um deles ,já votei inclusive em alguns candidatos do psdb q é um centro esquerda,,e mesmo dentro das esquerdas vc tem q escolher,mas no momento o que está ocorrendo é que segmentos vão minar o atual governo,e infelizmente irão derruba-lo,e com apoio da população-fazem uma imensa campanha difamatória- promovida por,setores da extrema direita(alto capital) pessoalmente insatisfeitos com políticas deste governo,somados E PRINCIPALMENTE E A RAZÃO DE TUDO; aos poderosos setores ligados ao petróleo q estão aguardando fora do país pra colocar a mão em nossa reserva-pré-sal-mudando o sistema de partilha e ficando com 2/3 - capital privado-,uma das maiores reservas já encontradas no planeta,junto ao estado yankee q não admitiria perder em hipotese alguma sua hegenonia-seriamos uma super- potência,sabe-se q petroleo no q menos interessa é na produção de combustiveis-sua aplicação é na produção de quase tudo de uso hoje em dia-fibras de carbono -não está em discussão qual partido,mas coincidentemente a tendência de quem está hoje no poder é nacionalista-ligada à históricas linhas da esquerda brasileira e lutam pra q fiquemos com está riqueza

roy disse...

Enviei esse texto pq a tempos qdo homero citava esse fato de deixar o pais e que mtos o estavam fazendo, confesso que não conseguia perceber isso e não me imaginava o fazendo, mas gradativamente no dia a dia tenho sentido uma atmosfera pesada, algo ruim pairando no ar, um certo mal estar frequente, com toda essa sujeirada vindo do governo , saber de quadrilhas de ladrões e gente da pior especie estão no comando do pais , deteriorando tdo aos pcos e acabando com qualquer esperança de futuro melhor, isso tdo se reflete nas ruas,nas pessoas, dando a sensação de um ambiente inospto,e não se vê saida e possibilidade de reparos nisso tdo , como se a luz no fim do tunel tivesse se apagado de vez. Por isso tdo me deu vontade de deixar o pais , coisa que a algum tempo não concebia, não sei para onde e de que maneira irei me estabelecer etc mas a ideia e vontade já existem, e no amadurecimento delas acredito que descobrirei a melhor direção, mas no fundo me sinto mal em fazer isso , pois gostaria mesmo é de ficar por aqui,e secretamente torço que algo de mto drastico e forte aconteça que venha a mexer nesse governo podre e suas estruturas mafiosas, só algo de bastante impacto , talvez as custas de mto sangue sejam necessario para tirar e combater esses bandidos que estão no poder.

Anônimo disse...

espero q esta manifestação seja

pacífica, precisamos de muita força

para estes companheiros de luta

Anônimo disse...

olhem este comentários

https://br.noticias.yahoo.com/blogs/alex-antunes/dilma-esta-errando-por-que-nao-tem-como-acertar-035457879.html

Anônimo disse...

Os 5 Generais Presidentes - Autor: jornalista CARLOS CHAGAS

"Erros foram praticados durante o regime militar, eram tempos
difíceis. Claro que, no reverso da medalha, foi promovida ampla
modernização das nossas estruturas materiais. Fica para o historiador
do futuro emitir a sentença para aqueles tempos bicudos."

Mas uma evidência salta aos olhos:a honestidade pessoal de cada um!

1 - Quando Castelo Branco morreu num desastre de avião, verificaram os herdeiros que seu patrimônio limitava-se a um apartamento em Ipanema e umas poucas ações de empresas públicas e privadas.

2 - Costa e Silva, acometido por um derrame cerebral, recebeu de favor o privilégio de permanecer até o desenlace no palácio das Laranjeiras, deixando para a viúva a pensão de marechal e um apartamento em construção,em Copacabana.

3 - Garrastazu Médicidispunha, como herança de família,
de uma fazenda de gado em Bagé,
mas quando adoeceu precisou ser tratado no Hospital da
Aeronáutica, no Galeão.

4 - Ernesto Geisel, antes de assumir a presidência da República, comprou o
Sítio dos Cinamonos, em Teresópolis,
que a filha vendeu para poder
manter-se no apartamento de três quartos e sala, no Rio.

5 - João Figueiredo, depois de deixar o poder, não aguentou as despesas do Sítio do Dragão, em Petrópolis, vendendo primeiro os cavalos e depois a propriedade. Sua viúva, recentemente falecida, deixou um apartamento em São Conrado que os filhos agora colocaram à venda, ao que parece em estado de lamentável conservação.
OBS: foi operado no Hospital dos Servidores do Estado, no Rio




Anônimo disse...

Não é nada, não é nada, mas os cinco generais-presidentes até podem ter
cometido erros, mas não se meteram em negócios, não enriqueceram nem
receberam benesses de empreiteiras beneficiadas durante seus governos.
Sequer criaram institutos destinados a preservar seus documentos ou agenciar contratos para consultorias e palestras regiamente remuneradas.
Bem diferente dos tempos atuais, não é?

Pois é... o pior é que ninguém faz nada!

Acrescento: jornalista CARLOS CHAGAS

· Nenhum deles mandou fazer um filme pseudo biográfico, pago com dinheiro público, de auto-exaltação e culto à própria personalidade!
· Nenhum deles usou dinheiro público para fazer um parque homenageando a própria mãe.
· Nenhum deles usou o hospital Sírio e Libanês.
· Nenhum deles comprou avião de luxo no exterior.
· Nenhum deles enviou nosso dinheiro para "ajudar" outro país.
· Nenhum deles saiu de Brasília, ao fim do mandato, acompanhado por 11 caminhões lotados de toda espécie de móveis e objetos roubados.
· Nenhum deles exaltou a ignorância.
· Nenhum deles falava errado.
· Nenhum deles apareceu embriagado em público.
· Nenhum deles se mijou em público.
· Nenhum deles passou a apoiar notórios desonestos depois de tê-los chamado de ladrões.

Anônimo disse...

segundo os espíritas esta ocorrendo

um FAXINÃO no mundo material

esta onda de violência se deve

a última oportunidade dos espíritos mais violentes reencarnarem

pelo amor de Deus!!
não é todos que reencarnam somente com a permisssão de Deus.

espiritos violentos e maus não reencarnam mais vão para o inferno e outros ficam presos na terra. Esses que ficam presos na terra por que escolhem atormentam os demais... os viciados em drogas por exemplo são as maiores vitimas deles.

por isso o ser humano tem que andar sempre como coração limpo e em jesus cristo.

lula e dilma governam para o anti-cristo..nada será que vier deles será bom e de nenhum governo.

marcia fatima