segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

"Feliz Natal"? Ou "algo" mais precioso?

Natal é uma oportunidade festiva mundialmente adotada e inserida em nossos costumes, os mais diversos e antagônicos, porém, sempre inspirados na cultura europeia, historicamente dominante. Se bem que Jesus não nasceu nesta data, como cansei de explicar, mas foi escolhida por "marketing" da Igreja católica para conciliá-la com uma festa pagã romana, do Sol "invictus", quando senhores e escravos confraternizavam e os pobres ganhavam presentes e iguarias.Portanto, sempre foi para mim uma data como outra qualquer em nada significativa ou importante em minha vida, pelo contrário, enjoativa e sem atrativos, porque pautada pelas falsas aparências e consumismo incontrolável.Muitos compram, bebem e comem, nada condizente com uma data religiosa dedicada ao nascimento de um homem santo, que foi um "nazireu" do templo judaico, acostumado a jejuns e votos de pobreza e castidade. Mas, de repente, sempre uma vez ao ano, as pessoas se sentem envolvidas pela parafernália consumista e publicitária natalina, passando a "pisar em nuvens", sentirem os mais elevados sentimentos e praticarem filantropias, bem ao gosto meloso de "olhar para quem necessita" antes de olhar para o seu umbigo burguês. Nada disso...não é por aí que a humanidade deveria caminhar. Não os culpo por suas expectativas em poderem usufruir e curtir um momento de união familiar, sem esquecer nos muitos solitários que não lidam bem com a solidão, principalmente nestas datas e reunião íntima. Não é o meu caso, pois curto bastante a solidão e o afastamento destas ocasiões, para mim, um fardo e mal estar completo em companhia, mesmo se entre entes queridos. A reunião familiar deveria ser um ato cotidiano, não esporádico ou circunscrito a um momento ou evento oficial! Aqueles filhos que passam o ano distantes, sequer compartilham momentos de alimentação, refugiados em seus mundinhos paralelos da Internet e vídeo games, subitamente estão ali, esperando presentes debaixo das árvores. Alguns até juram acreditar no velhinho simpático e rosado. Parentes que nunca se deram bem também partilham a mesma ceia e trocam abraços regados ao sabor etílico do momento.Mas e daí? O que esta data teria de mais precioso aprendizado ou constatação para nós, para o nosso interior e mais intimo? O que deveríamos aprender e perceber, aproveitando esta compulsão coletiva inconsciente? Talvez concluirmos que devessemos ser o ano inteiro o que tentamos aparentar ser por um dia e sermos ruins exatamente nesta data, a ponto de percebermos a farsa e o engodo, a hipocrisia e a infâmia do "sentimento natalino". Um feliz natal, para todos que fazem autenticamente o mesmo que anualmente sentem em seu cotidiano e não somente nesta data!

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Bye Bye Brasil!

Lembram quando naquele 22 de dezembro de 2008 fiz previsões sobre muitas tragédias causadas pelas águas daí para frente e sem descanso pelos anos seguintes, contrariando babalaôs e profetas de plantão? http://fator-psi.blogspot.com.br/2008/12/oxum-limpa-tudo-com-apoio-de-iemanj.html Pois bem...vão continuar as tragédias causadas pelas águas, no Brasil e no mundo e nada poderá ser feito para evitá-las. Recentemente,o Rio de Janeiro e Belo Horizonte viraram leitos de rios violentos e inundações vitimaram milhares de pessoas que ficaram sem casa ou sem suas vidas. Lembram de minhas previsões sobre o aumento da violência urbana a ponto de se tornar um caos social? E o que aconteceu com os movimentos de protesto e vandalismos nas ruas das principais capitais do país? E a violência assustadoramente crescente do nosso cotidiano? Tudo isto foi previsto com anos de antecedência até aconselhei que fizessem provisões de alimentos e água potável como os norte-americanos fazem há anos, os chamados "preppers".Lembram de quando falei que quando um movimento pacífico de protesto chegasse à massa crítica de mais de 300 mil pessoas as forças de segurança sucumbiriam e , daí para frente não teríamos mais nenhuma segurança pública capaz de conter um movimento pautado pelo inconsciente coletivo, indignado pela impunidade e governos corruptos, onde ninguém realmente fica preso e tudo se resolve com ginásticas jurídicas em tribunais superiores? Tivemos passeatas monstruosas por todo o Brasil, coisa que deixou o governo federal em pânico, atingindo, só no Rio de Janeiro, mais de meio milhão de pessoas, famílias inteiras, apesar de alguns atos de vandalismo posteriores. O problema é que, as forças de segurança provaram não serem suficientes nem para conterem saques e vandalismos de uma centena de pessoas, como tem ocorrido em diversas ocasiões, até em arrastões em praias e shoppings, combinados nas redes sociais. Parece que o poder público entrou em recesso, está com o rabo entre as pernas e o governo federal tenta lançar mais planos de ajuda social para recuperar os índices eleitorais perdidos. Na verdade, não somos um país , somos um agregado de diferenças irremediáveis e antagônicas. Teremos copa do mundo? Confesso que chego a duvidar disso, pois até ameaças do comando criminoso do PCC, sobre provocarem pânico e caos nas cidades já foram anunciadas.Lembram do que ocorreu em São Paulo anos atrás? Imaginem o que poderá ocorrer durante a copa? Temos um sistema de transportes viável? Não! Temos segurança? Não! Nossas conexões de Internet são primitivas, se comparadas a outros países, quando não ficam fora do ar e ficamos a ver navios, navegando no nada. Imaginem a frustração dos correspondentes estrangeiros que cobrirão o evento? Acham que todas as obras ficarão prontas a tempo da inauguração? E se acontecerem tragédias causadas pelas chuvas? Ou os movimentos de hostilidade ao governo se multiplicarem neste ano de eleição? "Águas" simbolizam nossas emoções, principalmente coletivas, como um todo de um povo, portanto, devemos ficar atentos ao significado que tragédias possam estar nos transmitindo.Cataclismos e tragédias naturais, associados a desmandos governamentais e corrupção, impunidade e sensação de impotência dos cidadãos, perante este estado de coisas, não prenunciam bons tempos para nós brasileiros. Acreditem...vai piorar e muito! Melhor arriscarmos velejar em busca de mares menos conturbados e terras mais seguras, do que nos afogarmos num "Tsunami" interno, sem barco e sem vela!Como já diziam no passado..."o último a sair do aeroporto apague a luz"! Pensando seriamente em deixar esta terrinha injusta, estressante, burocrática, perversa, corrupta,insegura,violenta e sem justiça.Estudei e me aprimorei muito em vida para passar meu final de expectativa e descanso nestas condições sub-humanas e indecentes, de um país que tem um dos maiores índices de violência, cobra tributos como um campeão, pagamos várias vezes a mesma taxa como a do IPVA, pedágio e licenciamento, existe uma COISA colonial chamada CARTÓRIO! Pasmem! Só países subdesenvolvidos, e pouquíssimos têm esta COISA detestável e anacrônica!O Uruguai enriqueceu muito e se transformou num refúgio fiscal além do turismo, hotéis e cassinos, a Argentina também tem oportunidades e é linda de morrer, sem falar em Bariloche, Córdoba, etc.Ou seja , nós criamos, ou melhor ELES criaram um país (Brasil)indigerível e sujeito a um verdadeiro "Tsunami" interior, nem precisamos de um natural que varra o nosso litoral, mas Brasília está no centro e bem alta, no planalto central, entenderam a estratégia dos políticos para se safarem? "Bye Bye!" "Bye Bye Brasil"!...assim como o filme...

domingo, 15 de dezembro de 2013

Sou simples e direto, vivo como eles vivem e dizemos o que pensamos sem censuras "politicamente corretas", sabemos manifestar nossos sentimentos sem medo nem receios . Assim aprendi viver a vida do interior e da expressão mais franca profunda do meu ser. Amar não é um jogo, é uma prova de sinceridade e verdade entre parceiros. Amar não é ser personagem nem tentar negar seus sentimentos. Amar é algo bem mais difícil e alto em espírito e alma. Tentem vocês amar, na mais pura essência de ser!

quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Coisa mais linda! Ave Maria.

Como disse meu primo, que postou este vídeo em seu Facebook, "que coisa linda!" Não por ser mais um vídeo postado , mas pela emoção que temos ao entrarmos em contato com o nosso "divino" e imaterial, além do respeito subconsciente que também temos, pela figura materna e tudo que possa representá-la em vida ou em crença religiosa. Enorme e distinta diferença entre uma mulher bíblica que soube se eternizar na História e as de hoje, infelizmente, mas necessitamos sim, de uma "Ave Maria", para nos revitalizarmos e continuarmos em frente em nossas vidas, contando com a sua graça e proteção. Somos almas e Espíritos imortais, da criação divina e precisamos de fé e amor, para podermos continuar em nossos caminhos. Não é vergonha acreditar em Deus!Creiam e recebam suas graças!

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013

Sem palavras!

Amar é...

Amar não é dar entrevistas de casais idosos que se beijam discretamente perante câmeras ou guardarmos vídeos de caminhadas na praia ao amanhecer. Muito menos acharmos que o amor é um mar de rosas eterno. Amar é reconhecer erros, enfrentar crises quase fatais para o relacionamento, porque evitaremos ser apenas racionais e decidiremos pelo afeto e confiança em nosso(a) bem amado(a). Amar não é sermos frios ou analisarmos uma relação pelo que nos seja mais útil ou menos desgastante. Encarar a realidade, sempre sabendo que também somos amados e devamos conciliar nossas diferenças. Amar é saber desistir de argumentar ou discutir, dizendo apenas;” te amo” e “me entenda”. Amar é saber fazer valer sua intuição e prever o que o(a) seu(sua) bem amado(a) pensa antes de criticá-lo(a) ou questioná-lo(a). Amar é saber aceitar mesmo o que não aceitaria de ninguém, mas sim do(a) seu(sua) “Beloved”, porque o amor está acima de nossas rejeições ou análises racionais. Amar é saber pensar o que nos satisfaz em presença e vida, o que nos alimenta a esperança e cada segundo de nosso cotidiano. Amar é saber entender que também somos fracos , como as fraquezas de nossos (as) amados(as) são ressaltadas no convívio mútuo. Amar é aprender a dialogar sem defesas nem retrancas. Amar é se abrir totalmente e sem receios, falar “na lata” o que pensa, sem pensar em fazer personagem ou se poupar de algum risco de se decepcionar ou ser rejeitado(a). Amar é simplesmente amar, sem mais nenhuma comparação ou definição, do que seja este sentimento nunca desvendado pela Ciência ortodoxa e materialista. Pois amar é divino e uma apoteose encantadora de um ser, a revelação de uma possibilidade de realização pessoal terrena com outra pessoa. Quem ama realmente, não terá dúvidas quanto ao que aqui postei. Quem ainda tiver...

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

LUTO 2!

Uma história de amor e união de meus pais terminou hoje com o falecimento de minha mãe 61 dias após o do meu pai. 67 anos de casados! Ambos doentes simultaneamente, ambos encerraram suas passagens por este plano dimensional. Foram anos de sofrimento e dedicação e o alívio final dos que sofrem e dos que os acompanham na adversidade fatal. Agora estou só, eles, com certeza, como sempre juntos na paz e na luz. Adeus...fica a lembrança do amor com o qual me criaram. Obrigado.