sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Que país é este?



Recebi isto, em parte já conhecia os fatos, pois foram de minha época quando era líder estudantil, embora apenas democrático, jamais um imbecil, que acreditaria numa revolução comunista armada no Brasil.
Vocês decidam
...


Vocês conheciam esse lado da Dilma?
Dilma, ainda jovem, entrou para o POLOP - Política Operária - e depois mudou-se para o COLINA - Comando de Libertação Nacional -. Apaixonou-se e casou-se com Cláudio Galeno Linhares, especialista em fazer bombas com os pós e líquidos da farmácia de manipulação do seu pai.
Sua primeira aula de marxismo foi-lhe dada por Apolo Heringer e, pouco depois, estava em suas mãos o livrinho: "Revolução na Revolução", de Régis Debray, francês que mudou-se para Cuba e ficou amigo do Fidel e mais tarde, acompanhando Guevara, foi preso na Bolívia. Aos 21 anos, Dilma partiu para o RJ a fim de se esconder dos militares, após o frustrado assalto ao Banco da Lavoura de Sabará. No Rio, ainda casada, apaixonou-se por Carlos Franklin Paixão de Araújo, o chefe da dissidência do Partidão; então, chegou, de chofre, e disse para o marido: "Estou com o Carlos!" .
Carlos vivia antes com a geógrafa Vânia Arantes e, sedutor, já havia tido outras sete mulheres, aos 31 anos de idade. Com ele, Dilma participou da fusão COLINA/VPR (esta do Lamarca), que deu origem, em Mongaguá, à Vanguarda Armada Revolucionária- Palmares.
Foi em Mongaguá, litoral paulista, que se traçou o plano da "Grande Ação", que se iniciou em 18 de julho de 1969, com o assalto e roubo do cofre da casa da amante do Ademar de Barros, em Santa Teresa/RJ, que rendeu-lhes 2,5 milhões de dólares, cofre aberto em Porto Alegre, a maçarico, pelo metalúrgico Delci. Mas a organização se dividiu entre "basistas" - que defendiam o trabalho das "massas" e junto às "bases", e os "militaristas", que priorizavam a imediata e constante luta armada comunista. A disputa pelo butim dolarizado foi ferrenha! Dilma era chamada de "Joana D'Arc da subversão". Então foi para São Paulo onde dividia um quarto com Maria Celeste Martins, hoje sua assessora imediata no Planalto.
Dedurada por José Olavo Leite Ribeiro - mantinha com ela três contatos semanais -, foi presa, armada, em um bar da Rua Augusta... e etc .
Enquanto isso, o Carlos Araújo teve um romance tórrido com a atriz Bete Mendes, da TV Globo. Dilma saiu do presídio em 1973 e foi para Porto Alegre, reatar com o marido infiel. Mas hoje, Carlos Araújo mora sozinho com dois vira-latas (Amarelo e Negrão), numa casinha às margens da lagoa do Guaíba, em Porto Alegre. Ele tem enfisema pulmonar e está com 71 anos. Diz que é feliz, mesmo a ex-esposa sendo Ministra e candidata do apedeuta/fronteiriço à Presidência da República.

3 comentários:

Sol disse...

Credo!!!, esta foto chega a ser obscena, agora, durante a campanha, estou conhecendo "outra" Dilma, a mulher que antes parecia um general mau humorado,hoje distribui sorrisos é, a simpatia em pessoa, deu até uma recauchutada na cara de pau.

Sem Lula no palanque, duvido que consiga convencer alguém, mesmo que as pesquisas lhe dê uma leve vantagem, tenho esperanças, que os indecisos façam a diferença e coloque este bando no olho da rua.

Aliás, preciso desabafar senão terei pesadelos, vi em uma foto, Dona Dilma e Dona Marisa Letícia juntas num comício, fiquei espantada, o que fizeram na cara de "nossa" primeira dama? Jesus!, o "material" já não era bom, agora ficou pior ainda, será que precisou pagar por aquele estrago?
Talvez, isto explique "tantas" viagens do digníssimo, fugir do jaburú.

Solange

sonli disse...

Lutamos tanto para ter direito ao voto, a escolha, do nosso representante e agora não temos em quem votar.
Acredito que Dilma/Lula leve essa, porque o povo acha que seu poder aquisitivo melhorou com o atual governo e vai dar continuação.
Lula acha que vai poder manipular Dilma ( coisa que não acredito)e ficará correndo pelo Brasil, fazendo campanha para voltar nas próximas eleições.
E nós...

roy disse...

UMA LASTIMA ESSA BISCATE !