segunda-feira, 17 de agosto de 2009

"Coisas que eu sei". (2)

Sabem aqueles dias em que acordamos felizes, mesmo que o dia esteja nublado vemos borbolêtas, coçamos a barriguinha do cachorro, ouvimos músicas gostosas, cumprimentamos até os lixeiros, os vizinhos chatos e bêbados na rua?
Pois é...evitei postar hoje sobre um assunto meio "pesado", que conheço bem, por experiência de vida no ambiente da mídia, principalmente da rede Globo.
Todos sabem e conhecem minhas críticas contra "profissionais da fé", embora tenha de me manter o mais imparcial possível, perante esta "guerra" entre dois poderes consideráveis, uma da política e hegemonia de décadas e outro da política e religião em curva ascendente de audiência e poder, inclusive no Congresso Nacional.
Reitero que nada tenho contra e respeito os profissionais, jornalistas e técnicos da "Plim-Plim" que sempre foram muitíssimo atenciosos e gentis comigo, quando me entrevistaram ou em outros eventos. Da Record também tive boa atenção e receptividade através de seus jornalistas que entraram em contato comigo.
Portanto, uma coisa é o elenco profissional que "rala" para cumprir obrigações, outra são as "cúpulas" do poder em quaisquer emissoras de televisão.
Outro detalhe, que talvez muitos não saibam, é que as emissoras são apenas empresas que obtiveram uma "concessão precária", aprovada pelo governo e Congresso para operarem e podem ser, a qualquer momento, cassadas e tiradas do ar.
Poderia revelar mais coisas, além dos argumentos de ambas em disputa, porém, por uma questão profissional, como também advogado, não posso alegar desconhecimento das leis e minha responsabilidade,tendo de me manter dentro do que já foi publicado na mídia nestas últimas 3 décadas,sob pena de também ser processado por divulgar denúncias além das que constam dos autos dos processos em litígio.
O que posso adiantar é que, feliz ou infelizmente, tudo o que os jornais da Record noticiaram e denunciaram contra a rede Globo é verdade e objeto de uma disputa judicial que poderá resultar, caso os processos voltem a tramitar normalmente, na perda de propriedade da família Marinho por fraudes documentais já periciadas e julgadas e extinção da rede televisiva, antes hegemônica no Brasil, que tantos privilégios e benefícios, financeiros e políticos teve desde sua inauguração durante o regime militar.
Além do que foi divulgado, a rede "Plim-Plim" se apoderou na década de 60 de reserva ecológica do "Parque Laje", limitrofe ao "Jardim Botânico", criado pelo imperador D. Pedro II e de uma rua inteira de casas, destinadas aos funcionários daquele parque e seus familiares, pressionados a "vazarem" de lá, coisa que provocou uma violenta discussão e briga entre o falecido ex-governador do então "estado da Guanabara" Carlos Lacerda e Roberto Marinho,este representando os interesses dos grupos norteamericanos, "Time Life" e "Warner" os maiores do mundo, resultando numa campanha podre, através da mídia "global", para desqualificar o governante,logo depois falecido, sem direito à respostas ou providências.
Concluindo, sem entrar no mérito das denúncias sobre drogas e prostituição dos altos escalões da "Plim-Plim" , apesar de conhecer bem estas ocorrências e "possibilidades televisivas" para "figurantes" e candidatas à "estrelas", o que não ocorre apenas naquela emissora, mas em todas e sobre isso teria muitíssimo a dizer com depoimentos até de "garotas de programa" recrutadas, que serviram aos executivos das cúpulas da mídia e aos políticos do Congresso Nacional, durante as 3 últimas décadas!
Se eu revelar algo, vocês se horrorizarão! O problema é que não posso me colocar numa situação de suicídio total, enfrentando as maiores potências e poderes de nosso país, sem contar com uma fidelidade absoluta das "testemunhas denunciantes". Eu mesmo, ainda menor de idade, aos 16 anos, fui quase vítima de um "convite" de um simples funcionário da "Plim-Plim" para , junto dos outros integrantes de minha banda, sermos "contratados por um "fazendeiro milionário", "rei dos diamantes" e garimpos em MG, com direiro a jatinho e hospedagem. Sorte minha ter berço familiar sólido e íntegro e quase conseguimos flagrante policial, no hotel em que marcaram o contato no Rio de Janeiro, só evitado pela fuga dos agenciadores ao verem a presença de nossos pais nas dependências do hotel.
O que vocês imaginam que acontece com os figurantes e as "mocinhas" de auditório?
Têm de passar pelo "crivo" e experiências "pessoais" desde o mais baixo funcionário das emissoras!
Não "deu" não entra!
Realidade nua e crua.
Já tive clientes e amigas que passaram por isso e relataram tudo para mim! Salvei algumas jovens de "programas furados", perigosos" e elas, até hoje, reconhecerão meu alerta e aviso, ao verem seus mapas astrológicos. Algumas escaparam de um acidente gravíssimo, que ocorreu quando um grupo delas foi enviado numa "Van" para uma fazenda de milionários.

Alguns das novelas eram "de programa"! Foram escalados pelos seus amantes diretores de elenco e triagem!
Sobre as orgias dos altos escalões de diretores e produtores, regadas a drogas e bebidas, é claro que sempre existiram! Inclusive um outro componente "esotérico" que muitos não sabem, mas certos "executivos" de grande importância, fizeram uso de rituais satânicos, desde a década de 70, quando da novela "O Astro"!
O primeiro de todos, "mago" e "bruxo" contratado, para "assessorar" a novela "campeã de audiência", famosíssimo no mundo inteiro por suas "obras literárias"...quando ainda lidava com estas "forças das trevas", ensaiando seu "voo maior".
Melhor parar por aqui ou, em breve, verão minha cara na televisão sendo processado e perseguido por todas as poderosas mídias.

4 comentários:

Nininha disse...

É melhor parar mesmo, percebe-se que você ficou nervoso, talvez algumas recordações, isso não vai levar a nada mesmo, e vai te fazer mal, o que passou, passou, o dia de amanhã não volta mais, deixe que briguem, se é isso que querem, são escolhas deles, não se envolva, e o que eu posso te dizer em termos de experiências, é que "mais vale uma PAZ do dez VITÓRIAS", PAZ!!!

Olivia disse...

Homero, como sempre estou com você também. Não tenho sangue de barata para ficar assistindo tanta podridão. Oxalá, desta vez, esta "batalha" não acabe em pizza como em tantos outros casos que estamos cansados de saber e ver.

ANita disse...

Homero
O que vc não escreveu, dá para sacar nas entrelinhas. Bom é ver que não há mal que dure cem anos.
Nada que teve a sua origem baseada em falcatruas na época de chumbo, pode ser de boa índole. Nada.
Um grande abraço, e continua assim!

Érica disse...

Homero,
Com relação a esta guerra tenho uma questão que talvez você possa me esclarecer melhor, ou melhor acalmar a minha indignação!
Com relação a este “embate”, nada mais é pelo menos para mim do que uma “tentativa” da Globo desacelerar o crescimento da audiência da Record, tirar a credibilidade de um de seus fundadores (ou sei lá o título a ser dado as Sr Macedo) que nos últimos anos vem dando uma “lavada” na programação da Platinada que apesar de tão “poderosa”, não muda a sua grade! E a Record que basicamente são as mesmas idéias, mas, com uma “roupa nova”, com novos elementos e mais moderno, com um ar mais leve.
Agora a minha grande questão e até mesmo indignação: Um canal de Tv e rádio é concessão pública certo? Ou seja o espaço é do “público” da sociedade e não delas! Como pode ambas estarem usando este espaço para ataques em defesa de seus interesses empresariais??? Não há nada regulamentado na legislação proibindo este tipo de atitude, pois está escancarado que a Globo está atacando por estar perdendo o espaço. A hegemonia da Globo está se esvaindo e estamos entrando em um processo de “duopólio” – Globo x Record – Sendo que ambas deveriam estar fornecendo aos seus telespectadores um serviço PLÚBLICO correto de entretenimento que atenda aos interesses dos mesmos e não um circo de lona com acusações por causa mais uma vez de interesses empresariais.
Cada dia que passa fico mais irritada com o que infelizmente a maioria tem que assistir, a maioria é produto enlatado e copiado de fora – onde fica a nossa cultura, a nossa forma como povo de agir, não identifico mais “brasileiridade” no que se passa nestes canais Gigantes!!! Atualmente, de canal aberto, só assisto a TV Cultura, porque passa umas reprises muito legais de programas do meu tempo de criança... ai que saudades daquele tempo!
Abraços querido