sábado, 1 de novembro de 2008

Xiii...Obama...sei não...

Como já alertei em texto anterior, tentar prever sem ter dados confiáveis sobre os horários de nascimento, é arriscar muito..
Porém, observando novamente os mapas dos dois candidatos, percebi um aspecto astrológico no dia da votação (04), envolvendo Saturno em trânsito e o Júpiter do mapa de Barack Obama.
Se, pelo menos a data de nascimento estiver correta, este aspecto, por ser entre planetas “lentos”, não depende tanto de horários exatos, sendo bastante desfavorável quando se trata de quantidade de votos e sucesso.
Portanto, penso que toda esta vantagem em favor de Obama, apregoada pelas pesquisas, não se verificará na hora das urnas, pois há a possibilidade de grande redução dos eleitores de Obama, talvez devido ao voto não ser obrigatório e ocorra grande número de abstenções.
Parece-me que, a confusão causada pela disputa ferrenha que aconteceu entre George Bush e Al Gore, poderá se repetir neste pleito, provocando uma indefinição a ser resolvida pelos colégios eleitorais dos estados, prolongando-se por dias.
Melhor Obama não confiar muito nas pesquisas...

2 comentários:

Sol disse...

Boa tarde Homero!

O que percebo é que, Obama é o grande astro dessa eleição americana,não apenas por ser o primeiro negro a ter reais chances de se eleger,mas também por ser, carismático e muito inteligente, McCain é uma continuação de Bush,mesmo que nos últimos dias tenha tentado fugir dessa imagem.

O que chama a minha atenção, é o dinheiro disponível que Obama tem recebido para essa campanha,ficar 30 minutos em horário nobre e em seis canais com a maior audiencia na televisão americana,já demonstra que há algo muito grande por trás dele.O que seria?

Num país com uma crise financeira medonha,gastar milhões de dólares em uma única noite é de estranhar.

Mesmo que aconteça algo, e ele não consiga se eleger, já deixou o seu nome registrado na história e se apresentou com grande pompa ao mundo.Sabemos que o próximo presidente enfrentará um período negro, então ganhar essas eleições pode não ser uma vitória mas, um tremendo presente de grego.

Solange

Flavia disse...

Ainda mais com a complicação que é a eleição americana!! Lembro quando o Bush "perdeu" a eleição no voto (popular) mas levou as malas para a Casa Branca pois ganhou no voto dos delegados!!!