segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Ser um mestre ou guru!

Não é assim como pensam e como existem vários espalhados por aí desde o oriente. Ser um mestre não têm aparências nem imagens padronizadas de sua tarefa com seus ou pelos nossos parâmetros culturais conhecidos. Poderão encontrar um mestre no cotidiano e com pessoas que jamais desconfiariam em suas rotinas. Um verdadeiro guru poderá ser invisível na maior parte do tempo e apenas visível na realização de sua tarefa e missão com seu escolhido e protegido, até que ele amadureça e pressinta a humanidade, permanecerá em seu torpor que o seu caminho é outro e não o que pensava ser de sua vida.Quando o discípulo está pronto...O resto da humanidade permanecerá em seu torpor e vida comum. Não acreditem em gurus comerciais ou famosos, que vendam seus serviços!Nunca busquem algum, pois um verdadeiro guru escolhe antecipadamente o seu discípulo!Alguns gurus nunca se apresentam fisicamente, somente no astral para os seus discípulos!Estes serão os mais evoluídos e verdadeiros! Ser um mestre é passar por provas e desafios carnais e espirituais a serem superados e vencidos, mas, isto não será tudo, pois mestres também podem perder sua força e rumo, por pecados em vida. Espero que seus guias e mestres os guiem e conduzam da melhor forma possível e que nunca tenham a sensação de terem sido abandonados em seus caminhos!

4 comentários:

Zenobia Collares Moreira Cunha disse...

Caro Homero, sou espiritualista desde os 16 anos de idade, quando minha mãe começou a me dar livros que me introduziram nas lições dos grandes mestres. Na [epoca eu eram muito imatura, quase uma adolescente. Mesmo assim, apaixonei-me pelo esoterismo e comecei a praticá-lo. Minha mãe era teosofista e trocávamos muitas idéias . Acho que essa base espiritualista concorreu muito para que eu evoluísse interiormente. Anos mais tarde, devido a certas coisas estranhas que me ocorriam, comecei a me interessar pelo espiritismo kardecista. Hoje, continuo espírita, mas dando espaço para outras formas de espiritualismo que as leituras e o contato com pessoas mais evoluidas me fizeram compreender. Por isso gosto tanto de ler o que você escreve, das suas idéias e de sua pessoa. Se pudesse conversar com você, para mim, seria muito proveitoso. Tenho muito a aprender ainda. Um abraço amigo e fraterno de Eva

Homero Moutinho Filho disse...

Zenobia.
Obrigado. Meu e-mail

hmf_sp@yahoo.com.br

Abs.

Vitor Angelo Baeta Damasceno disse...

Mais um texto excelente, e sobre ser abandonado no caminho, creio que ninguem o é, mas podemos escolher nos largar no caminho, mas a partir daí a responsabilidade pelo que nos ocorre é toda nossa, uma coisa que fico triste é que textos profundos como esse quase não sejam comentados ao passos que qualquer artigo sobre big brother tem mais de 20 comentários, mas acho que esse mundo não tem mais solução enquanto certos seres não forem expurgados daqui.

Homero Moutinho Filho disse...

Vitor.


Houve época , desde o BBB7, que recebia mais de 2 mil comentários por dia e atingimos este este total de visitantes únicos próximo de 1 milhão agora, mas isto quando eu fazia previsões sobre estes "RS" da TV. Assuntos mais profundos não interessam a maioria alienada e refratária .