segunda-feira, 14 de junho de 2010

"My Beloved"

Sempre disse que não acredito nesta conversa de "almas gêmeas " e " outra parte da laranja", pois pessoas realizadas e com identidade suprida, não necessitam de "outras metades" de nada.
Um dia tive um sonho, sobre alguém que participou muito de meu passado em outras vidas passadas. A reconheci imediatamente , pelo seu jeito amoroso e muito familiar. Cada toque e carinho me eram bastante conhecidos e desejados, cada dedo e mão, cada carícia e amorosa atenção dedicada.
Sei que ela ainda está presente aqui e poderá aparecer de repente, sei lá por que razão ou ato "kármico", mas, paixões e amores, não são coisas que escolhemos vivenciar, nem pojetos de vida, são "eventos" e "acontecimentos" em nossas vidas que nos levam para lá e para cá, sem noção de direção nem responsabilidades assumidas.
Aqueles que ainda buscam a sua "complementação" em vida, apenas pensem e imaginem antes de dormir, "que saudade", pois, se algo existir de antes a ser realizado agora, não deixará de se manifestar na vida normal.
Um amor verdadeiro transcende o tempo e espaço, invade nossa privacidade e o mais íntimo de nosso ser , mesmo em outras vidas.
Quando sentirem aquela dor extrema em seus corações, perante alguma experiência de sentimentos, sobre algo que não conseguem entender a razão, estejam certos que encontraram um amor perdido no tempo, o que chamam , mas eu não aprovo, de "alma gêmea" e sua "metade", porque prefiro dizer que será sua expressão oposta e companhia para a vida.
Amar é reconhecer seu âmago oposto.
Quem muito viveu, muito amou e sofreu.
Escolhi esta expressão "My beloved" (minha amada), para significar todas as nossas esperanças e sentimentos , nossos receios e expectativas para o futuro, nem sempre fáceis de distinguir, porém, nossa vontade de acertar e realmente realizarmos nosso objetivo sentimental de vida.
Sempre haverá um dia e um tempo, para sermos chamados de "my beloved".

2 comentários:

Sol disse...

É estranho isto, mesmo sabendo que somos únicos, procuramos por alguém que nos "complete", contraditório não?!

Não adianta ser autosuficiente,com um coração vazio,somos bichos carentes por natureza, acreditamos no amor, no afeto e no romance,é lógico que podemos viver sozinhos, mas é muito bom ter alguém com quem compartilhar, sonhos, projetos, tristezas e alegrias, alguém que nos chama para a terra, quando começamos a divagar.

É fácil ter alguém, mas é muito dificil encontrar neste alguém companheirismo, parceria, cumplicidade, amizade, respeito e confiança.

O termo correto deveria ser realmente "meu oposto", mas prefiro e gosto muito mais de alma gemea, pois reforça a idéia de eternidade

Solange

Gabriela disse...

Concordo com a Sol. Mas o que eu também acredito é que isso não funcione para qualquer pessoa. Quer dizer, veja o meu caso: não tenho capacidade de acreditar que encontrarei alguém. Não consigo enxergar. Acredito que isso esteja no "plano" de algumas pessoas, ou a maioria delas, mas não de todas. E é o que eu penso sobre a minha vida atual. Meio idiota pensar tal coisa mas é assim que tem sido pra mim e é assim que acho que será sempre. Longe de mim me fazer de vítima. Só não me sinto amada por ninguém e na verdade, nunca senti. E isso me deixou carente e mal resolvida (confesso!) Acho que sinto amor mas não o sinto vindo até mim (e o digo em relação a todo tipo de encontro). É estranho, sou estranha. Queria até pensar diferente... falam muito sobre atração hoje em dia e que os pensamentos constroem a realidade. Até acredito nessas coisas mas quando tenho que agir assim, quando é sobre a minha vida afetiva... simplesmente travo.

Aff... surtei e não paro mais de falar besteira kkkkk