domingo, 20 de dezembro de 2009

Manieri melhorando muito.

Não na voz,(conforme o meu gosto musical), mas subindo em meu conceito, por estar se esforçando mais nas tarefas e lavando pratos, além de ter feito umas colocações bem oportunas, até quando, em tom irônico, disse para o casal "fake" que "esperassem até depois de domingo para namorar". , já sacando a trama deles. Rsrsrs.
Resolveu externar abertamente suas opiniões, está mais afoito e solto.Às vezes até a sua "ranzinice" é bem vinda, diante de tanta hipocrisia reinante.
Errou ao aceitar precipitadamente a proposta do "guru" Xuxa e depois raciocinar melhor, mas isso não é nenhuma tragédia irrecuperável.
Todos temos nossos defeitos e virtudes e eu sou o primeiro a dar o braço a torcer, quando percebo certas "virtudes" em alguém.
Espero que ele só melhore e não retroaja ao comportamento inicial, amorfo e preguiçoso.
Um crédito para ele.
Penso que nunca terá um "fora Manieri" deste blog se assim continuar.

6 comentários:

Andrea disse...

Bom Dia!!
Engraçado Homero,por que nas primeiras semanas da Fazenda eu tomei antipatia por ele
por causa do Igor (que reclamava à beça dele)e por causa da preguiça evidente que ele demonstrava. Mas temos que concordar,ele realmente mudou nesse aspecto e tem nos mostrado ser um homem de personalidade, caráter e sensibilidade também.
Não age com hipocrisia como muitos ali, nem faz tipo...
Ele me conquistou SIM, devagar, desde o choro sincero pela saída da Andressa, além de eu ter uma queda por virginianos... hahahaha (no bom sentido) por que ele não me atrai como homem.
Enfim...
Ponto pra ele!
Não votaria para ele sair tão cedo, primeiro que vá Xuxa, Mateus, MC Leozinho, Sheyla, entre outros.
:-O

Anônimo disse...

CONCORDO PLENAMENTE COM VC. ACHO QUE FOI NA SEMANS PASSADA QUE O MANIERI DISSE QUE A "HARMONIA" DA FAZENDA O ESTAVA INCOMODANDO,O QUE SIGNIFICA QUE ELE JÁ VINHA PERCEBENDO A ONDA DE HIPOCRISIA E FALSIDADE QUE RONDA O LUGAR. NÃO NOS ESQUEÇAMOS QUE O CACO VIU E FALOU SOBRE ISSO NA PRIMEIRA SEMANA.

Pitanga disse...

Olá, boa tarde Homero.
Sobre Manieri e seu atual comportamento, tenho a impressão que a conversa que ele teve com o Caco, um certo dia, tentando convencer este a rever suas atitudes na Fazenda, pensar nas repercussões para a sua profissão, tenha lhe dado o empurrão necessário para ser ele mesmo.
lembro da resposta do Caco dizendo que se fosse pensar no que o povo pensa, ele ficaria inerte na Fazenda, viraria um boneco sem opinião, fugindo da sua essência.
Daí o Manieri passou a entender que se tem que ser acima de tudo com suas atitudes.

Anônimo disse...

Eu notei o Manieri,quando o Igor voltou da roça com a saida da Andressa e ele nem chegou perto do Igor e demonstrou total irritação com a volta dele sem disfarçar enquanto os outros todos foram abraça-lo.Ali o Manieri demontrou coragem,personalidade e honestidade e começou a me conquistar(um pouco ainda).

Sol disse...

Ainda não gosto do jogo de Manieri, ajudar nas tarefas é o mínimo que espero dele, afinal, isto é uma das regras, ele a estava quebrando, se empoleirando na indolencia e sobrecarregando os outros.

Quanto as novas atitudes ainda não me convenci, não sei qual é o verdadeiro Manieri,não gosto do se mostra, se esconde.


Solange

Anônimo disse...

Oi, Homero!

Antes de mais nada, parabéns pelo blog e por partilhar a visão tão clara e profunda que você tem dos 'personagens' de A Fazenda.
Já sou tua fã. Como você, amo os animais e adoro Astrlogia tbm. Enfim, conheci teu blog ontem e ele entrou direto nos meus favoritos.

Concordo contigo, o Manieri tbm subiu no meu conceito, como tbm subiu a Cacau. Pelo simples motivo de ela não ter concordado com o Xuxa, naquele papo de divisão do prêmio entre o grupo. Menina de personalidade, foi taxativa! Você não achou tudo de bom? Quem dera o Igor tivesse essa mesma atitude, de não cair na lábia do Xuxa. Sei que pode ser jogo do Igor, mas dá muito desânimo ver a cara de vitória do Xuxa, por ter 'conquistado mais um discípulo'.
Enfim, que hoje seja seu últiomo dia ali.
Um grande abraço pra vc!
Cris - Brasília/DF (a terra da vergonha alheia.)