sexta-feira, 2 de outubro de 2009

"Fé" e FÉ! A "diferença!

Já abordei este tema desde a inauguração deste nosso espaço em julho de 2007, através de vários textos específicos sobre Astrologia, “Karma” reencarnação, “livre arbítrio e determinismo, etc.
No entanto, nunca é demais estendermos um pouco além do que compreendemos como “fé”, devoção e crença.
Não existe “fé” sem “poder”.
Poderá parecer estranho, mas a “fé” que conhecemos é aquela das pessoas devotas, dependentes, que rogam por ajuda e auxílio em momentos cruciais de sofrimento na vida.
Outra espécie de “fé” é aquela apenas formal, sem maiores sacrifícios pessoais nem desprendimentos.
A última e verdadeira, é aquela que não roga por nada, não pede nada, mesmo porque não precisa, e , mesmo que necessite, a transmuta em “entrega” e “devoção”, também não por fraqueza pessoal, mas pela “humildade” de reconhecer o “Maior”, criador ou não de todos nós, seres rastejantes terrenos que pensamos possuir inteligência, sabedoria e cultura suficientes para decidirmos sobre nossas vidas, quando, nem mesmo podemos prever se choverá amanhã e os serviços de meteorologia colecionam fracassos dramáticos!
Quando abordamos a questão do “livre-arbítrio”, tivemos um impasse entre o que seria válido e “cientificamente comprovável e o “imponderável”.
Ou seja. Se um indivíduo entra em sua casa e resolve abrir a janela, terá ele “decidido” assim fazê-lo ou apenas cumpriu um “roteiro determinado desde o seu nascimento? Sim porque, se podemos antecipar e prever coisas sobre fatos ou pessoas, seria porque elas fariam de qualquer modo o que estava previsto e não teriam nenhum aparente “livre-arbítrio”.
Quando falo em catástrofes e elas acontecem, foi por qual razão? Por meu “livre-arbítrio” ou pelo “Karma coletivo”, que providencialmente pude captar e perceber com antecedência?
Como já disse anteriormente, quanto mais culta, intelectualmente educada a pessoa, mais ela acreditará firmemente no “livre-arbítrio total seu, pois, qualquer dúvida, significará uma “constrangedora e deprimente comparação sua com os mais ignorantes e de menos informação formal...
Sem querer me alongar sobre esta questão do “livre-arbítrio” já provado que não existe, pela análise das previsões deste e do meu antigo blog , pelos detalhes de previsões sobre reações humanas e probabilidades, a ponto de determinar não somente datas, mas horas e minutos, ficarei no âmbito da questão da “fé”.
Qual “fé” seria capaz de transformar água em vinho ou multiplicar pães?
Alguns dirão...mas Ele era o “filho de Deus encarnado”!
Eu diria... e os “apóstolos e seus grandes milagres? Eram também, aqueles homens rudes e até ignorantes, “filhos de Deus”, a ponto de realizarem e perpetrarem milagres em suas vidas futuras de pregadores?
?
Vá ter filhos assim nos...rsrsrs.
Ora!
Não é nada disso.Como funcionam os “milagres”?
Lembram bem das palavras de Jesus?
“Aquele que crê, será curado!”
Entenderam?
Ele não era pastor nem padre de nenhuma “igreja”, portanto, se referia ao que “crê” SEM DÚVIDAS”!
A “DÚVIDA” impede o milagre!
Lembro de um magnífico filme , talvez o melhor já produzido, no meu entender, que se intitulava “Fernão Capello Gaivota”, obra do escritor “Bach”, onde este assunto sobre o “poder da fé e vontade” foi magistralmente explicado.
Aliás, com a trilha sonora de Neil Diamond, qualquer filme já começa com indicação de “Oscar” pela sua grande sensibilidade e talento insuperáveis!
Quantos de nós de idade mais “avançada” como eu, puderam se emocionar com as canções e magníficas cenas espirituais, com gaivotas, naquele filme?
Foi uma obra espírita ou espiritualista, digna do final dos anos 60!
Num determinado momento do filme, a “instrutora espiritual” do “herói ; “Fernão Capello”, deixou-o numa gruta sem saída e disse que ele “acreditasse” piamente no que pensasse e saísse de lá.
A “tarefa” a ser cumprida para que ele aprendesse a se locomover no plano “astral”,depois de ter morrido, seria a de “pensar" e "estar" imediatamente atemporalmente num determinado local. Apenas querer e “estar lá”.
Ele tentou, tentou, por dias e noites até quase total esgotamento, repetindo para si mesmo; “eu posso, eu quero , vamos, estou indo, eu tenho o poder de ir, eu vou, etc... e “nada”!
Num determinado momento, já muito enfraquecido e cansado, ele balbuciou; “EU ESTOU LÁ”!
E lá estava, transportado, não pela vontade ou apenas pelo querer, mas pela certeza que estaria, por última tentativa, de desistência, entrega e abandono de si próprio, sem censuras ou dúvidas pessoais, apesar de quaisquer obstáculos físicos, por uma vez só ele não acreditou na mentira do mundo concreto ou nos limites da mente e “DESEJOU” intensamente, sem QUALQUER DÚVIDA CULTURAL OU ENSINAMENTOS QUE RECEBEU E O TOLHIAM DESDE A INFÃNCIA!
Portanto , a verdadeira fé, não consiste em “rezar” ou “rogar por ajuda” mas sim, crer absolutamente na eficácia do desejo!
Se fomos criados por Deus, também somos partículas divinas com poderes semelhantes !
E se somos parte deste “Todo” por que não “deuses” também?
Ai ocorre uma brutal diferença.
Não podemos ser “deuses incriados”, pois fomos “criados", e mais uma definitiva e incontestável admissão de nossa inferioridade humana e espiritual, se considerados somente “partículas dependentes”.
Mas, ninguém “cria do nada” sem doar muito de si.
Cada parte, cada grão de areia, cada partícula atômica é também parte de uma mente imanente e onisciente,adimensional e atemporal, de difícil definição para nós viventes humanos num mundo aparentemente “material e concreto” apenas assim mantido pela força do “desejo e vontade Divinos”, através de frequências vibracionais!
Deus não teve “educação familiar e escolar” onde professores e pais diziam para ele; “isto não existe, você não pode fazer isto ou aquilo porque não faz bem e é ridículo, não fantasie, não imagine coisas, tente conseguir um emprego seguro e se casar, ter filhos, fantasmas são frutos de sua mente, “querer é poder” até um certo limite prático”, espíritos não existem também, foi apenas um “pesadelo seu”, etc."
Acreditam realmente que uma humanidade assim criada e educada poderia desenvolver os verdadeiros poderes da verdadeira FÉ?
Quando atingimos um nível e grau de evolução, mas ousamos avançar mais , mesmo arriscando nossas vidas, o "prêmio" ou "castigo" dependerá de nossos méritos conquistados em quase infinitas "vidas" ou "vivências simultãneas dimensionais".
Numa fração de segundo, num "samadhi" ou "nirvana", teremos toda a sabedoria do mundo!
Quando larguei no passado minha vida noturna de boemia e prazeres, para me dedicar à uma dieta radical, jejuns e abstinência sexual total, antes de ter realmente "despertado" a energia "Kundalini" pela Yoga e meditação, tive uma inesperada constatação sobre como "funcionam " os milagres , no que se refere a coisas materiais de "transmutação" , como da "água para o vinho".
Há uma determinada fase em que atingimos um estágio "Micro" e "Macro"ou seja, de visão "interna" e "externa", até de moléculas e partículas.
Dai que, quem conheça as constituições moleculares poderá operar "milagres no mundo físico, agindo pela vontade conjunta ao conhecimento!
Imaginem os conhecimentos de Jesus, Moisés e outros!
Apesar de tantas tentativas de deturparem as escrituras por filmes , a verdade é que, Nem Jesus, Moisés ou Budha (este abandonou a mulher em trabalho de parto e jamais retornou)levaram uma "vida conjugal normal.
Sabem qual a razão?
Porque a energia "Kundalini" é a mesma sexual!
Sansão a tinha despertada!
Perdeu-a por ter coabitado com Dalila! Os cabelos longos eram obrigatórios para os "nazireus"! A lenda sobre o corte dos cabelos de Sansão se origina no costunmes sacerdotais do antigo templo hebreu, porque , a punição para os discípulos que infringissem seus votos de abstinência, castidade e pobreza era o corte total dos cabelos, raspados pelo sacerdote! Entenderam a simbologia bíblica para uma coisa "hermética" e sacerdotal"?
Pois é...
Naquela época, nos templos havia um átrio e dependências separados para os "Nazireus", destinados à uma vida religiosa casta e que juravam humildade e pobreza.
Dai o "desaparecimento de jesus aos 13 anos , idade para o seu "Bar Mitzvah" e iniciação no templo".

"Burrice"católica ou falsidade ideológica ?
Todos os "nazireus" eram destinados à tarefas específicas segundo os sacerdotes. Alguns eram "rabbis" como Jesus, outros deveriam cumprir desafios e sacrifícios, como João, outros os apoiariam em vida.
Isto era definido pelos mapas astrológicos deles.

Nunca jamais existiu uma cidade chamada "Nazaré"!
Os padres católicos, 800 anos depois,fundaram uma , pegando uma aldeia de passagem para caravanas,onde havia um poço ridículo e alguns pouquíssimos habitantes!
Mentira pura!
"Nazarenos" ou "nazaritas" e , ainda,"nazireus" que é o nome mais correto,pois tem por origem "proto-hebraica" ; "nasra" ou "nasran", o "N" no final significa "filho" ou "criação", "seguidor", o "A" cabeça" ou "pai" , não como "ab".
da época anterior ao Egito e significam ; "filhos ou homens de cabeças puras e certas"
Posteriormente , na Europa , tivemos e ainda temos rabinos judeus ortodoxos assim denominados, como o "hassídico" da Europa oriental Rabbi Ha Nazi que significa " o puro de cabeça"!. ".Para os judeus, algo agradável e feliz também pode ser associado ao fato de alguém ter "sabedoria, como; Baal Shem Tov", que significa "senhor das boas palavras" ou "das palavras sábias".
Muitos devem estar estranhando o fato da palavra "nazi", ser tão comum entre os judeus. De "burro", Hitler não tinha nada, pois era filho de uma judia (Clara).
Vivendo e aprendendo...
Fugi do tema?
É o que vocês pensam...pois apenas fiquei no âmbito do que criou toda esta confusão atual de crenças e conflitos políticos religiosos!
Antes da política existem; a crença, a fé os princípios fundamentais herdados culturalmente e por tradições arraigadas.
Os seres humanos se matam por crenças mas não creem em se salvarem por não crerem nelas.
"Crença" não é a verdadeira FÉ!
"Crença" é "dúvida" sobre existir uma ajuda ou salvação. FÉ é certeza sem dependências de nada!
Vamos tentar fazer um "exercício de fé" ou poder pessoal?
Então está bem.
Antes de dormirem , desliguem o despertador digital.
Pensem na hora em que desejam acordar, visualizando números em dígitos ou como num relógio comum, como queiram e se sintam mais familiarizados.
Pensem em seguida e imaginem uma cena de vocês acordando e se espreguiçando, levantando da cama, felizes e descansados.
Façam isto , no mínimo umas 3 vezes nesta tentativa inicial, depois não precisarão mais do que uma.
Vejam se despertarão na hora certa que desejavam."Mente" e "Espírito", "Poder e "vontade"!
Façam o mesmo para resolverem seus problemas. Imaginem que despertarão com as soluções para eles, após terem "inspirações" no "astral" enquanto sonham.
Quando algum problema maior de ordem psicológica os atormentar, acordem e mantenham um caderno para escreverem seus pesadelos ou sonhos para depois os analisarem pela intuição.
Para nunca "esquecerem" um sonho, jamais mudem a cabeça de posição!
Levantem na mesma posição anterior até que comecem a lembrar e escrever seus sonhos, porque, quando mudamos de posição, alterações químicas pelo abalo são produzidas , apagando o conteúdo original dos sonhos.
Acho que já cumpri o que me dispus a fazer hoje.

"Shalom Adonai, Ayin Soph Aur".

Significa;
Paz, sou o que sou, infinita luz"!

7 comentários:

Rodrigo disse...

Homero

Muito bom seu texto!
Sobre os sonhos ,o meu problema é ao despertar quando eu quero lembrar do sonho até consigo,mas depois começa a medar um sono muito forte e acabo dormindo de novo e acabo esquecendo tudo que sonhei.
Teria alguma dica para me dar?

Bia disse...

Bom dia Homero!!!
Texto perfeito...parabéns.

Sol disse...

Bom dia Homero,

Sou “viciada” em seu blog
Não "desapareço" nem quando o "magnífico", "estupendo" e "glorioso" timão perde.

Ontem foi um dia muito triste, me “despedi” de uma grande amiga, amiga que me acompanhou na infância , adolescência e adulta, desejei muitíssimo que um milagre acontecesse e ela se curasse, mas provando e comprovando seu post ,o que está escrito não mudamos uma única vírgula.

Ai , entra outra questão, sem o “milagre”, a “fé” se esvazia, nesses momentos sou terrivelmente humana, questiono, brigo ,fico de mal,o desengano e a certeza da morte não santifica ninguém então, pergunto dezenas de vezes :
Por que tanto sofrimento e dor, se o desfecho está determinado?, por que não nascemos com um “botão” de “pausa”?, assim encerraríamos a nossa “participação” nessa vida com mais dignidade.

Solange

Mari disse...

Magnífico texto explicitando toda a sua sabedoria, anos de estudo, sua visão paranormal, ou intuição.Professor, como deve ser difícil assistir à mediocridade que o cerca.

Liu disse...

Boa tarde Homero!

Texto perfeito. Parabéns♥

Anônimo disse...

Olá Homero, adorei seu texto - vc me colocou para pensar - e muito. Um abraçoLigia

Anônimo disse...

Bom dia Homero, mais uma vez etou aqui, confesso que fiquei viciado em seu site, nao por um sentido ruim, mas sim de receber muitas informacoes, as quais repito sao valiosas , e fazem as pessoas reflechirem, so tenho que agradecer primeiramente a Deus, a minha amiga que me indicou este site , e a voce , pessoa iluminada que ajuda as pessoas mesmo sem conhece - las , mais uma vez parabens pelo texto e muito obrigado. Deus continue o abencoando.
Joao da França.