terça-feira, 22 de setembro de 2009

Caiam fora!

Os que tentam recuperar prejuízos durante a crise e quebradeira geral das bolsas, os que entraram agora acreditando em falsas altas e boas perspectivas manipuladas pelos “tubarões” que aproveitaram o momento para venderem ações estocadas aos investidores estrangeiros em busca de lucros acima dos praticados nos E.U.A e Europa, (praticamente zero por lá), os que se sentem atraídos a investir, reflitam bem e saiam agora vendendo, pois a “bolha artificial” pode estourar.
Não há fundamento sólido em termos de desempenho das empresas de capital aberto para apostarem no escuro!
Caiam fora o mais rápido possível!
Não é um conselho apenas “astrológico”, é um alerta de quem é formado com especialização em Direito Comercial , Financeiro e Mercado de Capitais, com ampla experiência neste meio, que, na realidade, é um grande “cassino”.
Contentem-se com o “status” que têm e não queiram ser o que jamais poderão se tornar, ou seja, milionários, investindo no sistema financeiro, pois não nasceram para isto.
Melhor investirem em negócios próprios e trabalho árduo, porém, seguro.
Não se esqueçam que previ todas as “quebradeiras” e crise financeira internacional. Está nos arquivos para quem quiser comprovar.
O cenário ainda não mudou, é tudo “balela” para criar uma atmosfera otimista.
Se tivessem seguido meu alerta antes da grande crise , não teriam perdido tanto e sairiam na hora certa com grande lucro.
Fiquem de olho!

6 comentários:

Fernando disse...

Humberto,estou feliz por senti-lo melhor.Gostaria de saber se tem alguma previsão acerca de jóias e metais preciosos,no Brasil.Um grande abraço!

Homero Moutinho Filho disse...

Fernando.

Obrigado se se referiu a mim, mas quem é "Humberto"?

Fernando disse...

Desculpe,Homero,estava lendo um livro sobre a Casa de Savoia e o relacionamento do principe Humberto com Mussolini,veja só em que má companhia eu coloquei seu blog,desculpe mais uma vez,deve ser a idade...

Rodrigo disse...

Homero
Obrigado por responder minha pergunta na postagem anterior.

Sol disse...

Nós, pobres mortais vivemos de expectativas.
A esperança de que "amanhã" será melhor do que hoje, faz com que elegemos as promessas.
No Brasil o caso é muito mais sério, pois temos uma enorme população, com preguiça de pensar.

Mas, o que esperar de um país onde a ética é mais forte que a lei, iremos reclamar a quem?

Semana passada, num discurso “inflamado”, o nosso digníssimo desqualificava alguns sindicalistas, que organizaram uma paralisação dos funcionários de uma montadora no ABC, não é hilário, irônico e absurdo, quem os ensinou ? a quem eles têm como exemplo?

É estranho perceber como o discurso muda, quando mudamos de lado.


Solange

Homero Moutinho Filho disse...

Fernando.

Nem esquente a cabeça. Fique tranquilo.