quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Astrologia e "destino"!



Astrologia e destino são a mesma coisa, apenas considerados segundo pontos de vista diferentes, cada qual segundo crenças, valores e inclinações pessoais de quem especula sobre uma certa “pré-determinação” , algo acima da compreensão média humana.
Alguns poderão crer numa ação direta de forças superiores, como deuses, seres divinos, influências astrológicas, Deus, protetores angelicais, “coincidências”, acasos, ou mesmo não acreditar em nada, somente em suas decisões, como se unicamente o nosso aparente “livre-arbítrio” fosse determinante e absoluto em nossas vidas.
Se podemos prever com antecedência de meses e até anos um acontecimento ou fato, resultados e fenômenos inesperados, então o assim denominado “livre-arbítrio” total não existe. Se existisse este blog e o anterior original jamais teriam acertado entre 90% e 100% nos últimos anos. Não haveria razão para existir este espaço dedicado a prever o futuro e acertar, desde que, os dados pessoais das pessoas analisadas ou países, estejam corretos.
Muitos aproveitaram para testar em suas vidas a eficácia de uma Astrologia Sideralista (a verdadeira, astronômica e única) e verificaram que também dá certo e funciona como uma espécie de “guia” em seu cotidiano, antecipando chances, oportunidades , sucesso ou fracasso, evitando riscos e problemas,etc.
As mudanças em seus destinos talvez já estivessem “escritas” e faziam parte de um esquema maior, um tanto incompreensível para a maioria de nós.
Darei um exemplo.
Uma pessoa é avisada por seu astrólogo sideralista,(desde que competente) para não correr riscos num determinado dia. Resolve adiar uma viagem de avião, não dirige ou toma precauções de segurança, não se expõe em locais perigosos, etc. As influências astrológicas estarão ativas, porém, esta pessoa no máximo dará uma topada ao invés de sofrer algo mais grave.
Estaria “escrito” em seu destino a participação de alguém mais ajudando-a?
Isto quem decide é o “karma individual” de cada um conforme seus débitos e créditos espirituais.
Seja quem ajuda, um astrólogo, padre, um amigo ou parente, não importa.
O que vale é o resultado.
Se apenas o “livre-arbítrio”, a competência e capacidade fossem determinantes, então todos os jogos, competições, concursos e disputas seriam absolutamente previsíveis, somente pela qualificação pessoal.
Mas não é o que vemos acontecer.
Quantos fatores “inesperados” influem, modificando um resultado considerado “lógico” e mais do que provável?
Quando um ótimo estudante, melhor aluno de cursinho,não passa num vestibular, dá um “branco”, dor de barriga, etc, e outro que nada estudou, escolhe aleatoriamente as respostas passa o que explicaria este “fenômeno” impensável?
Felipe Massa perdeu o título nos últimos 500 metros, como aqui foi previsto que não seria o campeão, mas sim Lewis Hamilton, por pontos.
O que foi isso a não ser a ação do “karma”, do “destino, que já estava “escrito nas estrelas” e poderia ter sido previsto desde o dia em que nasceram pelos seus mapas astrológicos?
Seria possível sabermos se passaremos num concurso no ano que vem ou daqui a 4 anos? Claro que sim, dependendo de termos uma data exata de divulgação dos resultados e os dados de nascimento da pessoa estarem corretos.
Portanto, antes de nos culparmos, ou culparmos outras pessoas pelo fracasso, devemos estar alertas quanto a estes fatores favoráveis ou desfavoráveis aos quais todos nós estamos sujeitos em cada dia de nossas vidas.
Muitos problemas de sentimento de inferioridade, derrota e incapacidade, simplesmente não existiriam, caso a pessoa tivesse a exata noção de que a culpa não foi dela, mas sim de uma configuração astrológica desfavorável, num determinado dia e hora.
Quantas frustrações e decepções teriam sido evitadas, se todos pudessem conhecer estes elementos acima de nossas vontades que agem em nosso destino?
Quantos casais teriam sido alertados sobre a dissonância e incompatibilidade entre os seus mapas, antes de assumirem uma vida em comum?
É claro que o “o amor cega” e dificilmente alguém apaixonado aceita a verdade dos fatos, porém, o destino oferece alguns caminhos alternativos menos frustrantes e mais benéficos.
Cabe a nós percebermos se estamos trilhando ou não o caminho certo já preparado, conforme o que merecemos nesta vida.
Alguns dirão; “mas quanto mais difícil de se conquistar, mais prazer e satisfação pelo sucesso teremos”.
Pensamento um tanto errado, pois muitas vezes, vemos que o sucesso conduz ao fracasso pessoal e tragédias humanas.
Outras, testemunhamos a perda de tudo que alguém conseguiu, depois de tanta luta e sacrifícios.
Portanto, não existe esta “verdade” implícita, de que , “tudo que é difícil e exige uma luta árdua conduz à felicidade”.
Quando o destino age, geralmente não percebemos nem estamos à procura de nada.
Uma menina passeia num “shopping” e, de repente , aparece um “caçador de talentos” de uma agência internacional de modelos, convidando-a para fazer um teste.
Ela, em seu “livre-arbítrio” planejava tal coisa antes de ser abordada?
Não!
Será que também a sua decisão posterior, entre o “sim” e “não” estaria “escrita nas estrelas” e em seu “karma pessoal”?
Quem sabe?
Se eu escolher entre uma gravata preta ou vermelha, estarei usando o meu “livre-arbítrio” ou apenas fazendo exatamente o que já estava programado para mim naquele momento?
Considerando esta total “vulnerabilidade” nossa perante forças superiores, muito acima de nossa capacidade de compreensão, o mais fácil e aconselhável, seria de nos deixarmos levar pela correnteza, não tentarmos interferir no fluxo natural de nossas vidas, como se ela fosse um “rio” a ser navegado sem lutarmos contra a correnteza.
Este é um pensamento partilhado pelos maiores gurus e monges da História.
“Fluir como as águas de um rio”.
A correnteza sempre nos levará ao mar. Os que resistem, lutam, nadam contra e se abrigam nas margens, geralmente perdem o “impulso natural”, não chegam ao seu destino, por receio, medo do desconhecido, ou falta de coragem em se deixarem levar pelo fluxo da vida.
Nunca estaremos completamente sozinhos!
Sempre teremos ajuda num determinado momento crucial e importante em nossas vidas, não importando de onde ou de quem ela venha.
Resta-nos “perceber” esta ajuda providencial e agirmos conforme os nossos corações, pois a mente humana é como uma serpente, cheia de artimanhas e malícia, jamais o reflexo do “Espírito”.
É só fecharem os olhos e verem o quanto esta “mente” é capaz, de até “pensar por nós” , mesmo quando não estamos pensando nada e não queremos!
Como se fosse uma TV cujo botão de desligar emperrou e não conseguimos nem tirar da tomada!
Quem está pensando por nós enquanto testemunhamos tantos pensamentos , vozes, imagens que aparecem sem que sequer tenhamos pensado em tal coisa?
Pois é...quem?
Mas quando sentimos uma certeza vindo do nosso coração (moradia da alma), dificilmente deixamos de agir conforme esta força interior que nos guia.
Não se culpem por tudo, sejam mais felizes e evitem lutar contra suas tendências naturais, pois somos apenas “personagens” neste imenso teatro ou filme, cujo “Autor” está muito acima de nossa compreensão.
“Deixem-se fluir, como as águas de um rio até
desembocarem no mar”.

11 comentários:

Sol disse...

Interessante esse seu texto, hoje conversando com uma amiga discutíamos sobre isso, "destino".
Acredito que a gente só "toma" consciência de determinadas coisas com a idade.

Vejo por mim, aprendi a não "brigar" com determinadas situações,pois percebi que, a solução virá, independente de eu me estressar, desesperar ou tentar intervir.

Pode parecer "comodo" mas, não é,todas as mudanças que aconteceram em minha vida, foram "provocadas", se é que posso usar esse termo, por outras pessoas, principalmente em relação a minha família,cheguei a conclusão que é cármico mesmo.

Tenho algumas dúvidas, não apenas em relação a mapas astrológicos mas,com todo o tipo de previsão.

Uma delas é: O fato de alguém nos dizer que, algo não dará certo,não faz com que desistimos de tentar?

Outra dúvida: "cartas", "tarô" ou "búzios" não são apenas instrumentos usados, para uma melhor compreensão das respostas que inconscientemente já temos?

Solange

Homero Moutinho Filho disse...

SOL.

-Você poderá desistir ou não perante uma previsão. Decisão sua mas a previsão acontecerá a despeito de sua atitude.
-Sobre o Tarô também, poderá ser uma mensagem do seu inconsciente capatada pelas cartas e pessoa que as jogue.

Sol disse...

Voce acredita na leitura das linhas das mãos?

Solange

Cida disse...

Homero,parabéns pelo post!Quando uma pessoa faz seu mapa ele vai dar as previsões p/ toda a vida ou um período apenas?Essa enchente em Santa Catarina poderia ser evitada?ou as pessoas envolvidas tinham que passar por aquilo ou seja perder p/ haver um recomeço?

Sol disse...

Homero, boa tarde!

Me deparei com essa nota, já imaginou o que teremos de mulher grávida?

E depois? triste destino,
será mais um rebento assistido pelo bolsa familia?

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara aprovou um projeto de lei que proíbe as empresas de demitirem sem justa causa funcionários cujas companheiras estejam grávidas.

De acordo com o projeto, se o trabalhador comprovar a gravidez da mulher, o patrão não poderá dispensá-lo de forma arbitrária durante o período de 12 meses. O projeto foi aprovado na CCJ em caráter terminativo, ou seja, seguirá direto para apreciação do Senado.

O autor do projeto? Arlindo Chinaglia (PT-SP) e diz: esperar que a proposta seja aprovada em breve no Senado.

Pare o mundo que eu quero descer!

Solange

Homero Moutinho Filho disse...

Corrigindo:

"captada"

Homero Moutinho Filho disse...

Cida.

-No mapa estão as tendências e fatos mais importantes de uma vida, porém, para cada dia, mês e ano há progressões e trânsitos planetários a serem analisados. Um estudo para a vida inteira , ano a ano, seria muito trabalhoso e caro.
-Sobre as vítimas da enchente, foi "karma" coletivo, mas os sinais característicos de sofrimento aparecem nos mapas de cada um.

Elisete disse...

Adorei o teu post Mano Urso! E adorei isso...

“Fluir como as águas de um rio”.
A correnteza sempre nos levará ao mar. Os que resistem, lutam, nadam contra e se abrigam nas margens, geralmente perdem o “impulso natural”, não chegam ao seu destino, por receio, medo do desconhecido, ou falta de coragem em se deixarem levar pelo fluxo da vida."


"Pandão"!

Cláu disse...

Homero

E as intuições e sensações que algumas pessoas tem? Vc já postou algo sobre isso, mas de onde vem? Eu, por exemplo, mtas vezes tenho certeza que algo vai acontecer e de fato acontece, mas não é sempre (graças a Deus se não eu iria enlouquecer). Isso só acontece às vezes e de repente, me pega de surpresa. Mtas vezes fico assustada com as coisas que pressinto. Por que algumas pessoas tem isso e outras não?

Sol disse...

Homero, será nosso destino que isso aconteça?

Como o "digníssimo" instituiu no vocabulário da língua pátria estamos todos f....

Ao fechar um evento em que a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, já havia sido elogiada até pelo ex-presidente José Sarney (PMDB), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou ter "certeza de que vou fazer a minha sucessão". Lula fez essa categórica previsão dirigindo-se a Sarney que, pouco antes, havia dito que desejava que Lula elegesse o próximo presidente da República.

"Queremos a continuidade da sua obra e que o senhor faça o seu sucessor. Que ele pense como Vossa Excelência, que trabalhe como Vossa Excelência e que ande como Vossa Excelência", disse Sarney

Solange

Olivia disse...

Boa tarde, Homero!

Lindo texto, bem explicativo.
Acredito no Deus que habita o ser interior de cada indivíduo. Acredito numa força maior, intuição, em karma, destino...
Mas, como Deus nos deu o livre arbítrio, creio sim em podermos modificar nossa caminhada terrestre e em pessoas capazes de nos auxilarem para uma direção melhor.