quarta-feira, 5 de novembro de 2008

Obama. Esperança ou farsa?

Quem é mais negro?




Barack Obama.



Candidato Alan Keyes.

Olhares embevecidos, lágrimas, verdadeira “catarse” popular, como se no palco houvesse um mito, um ídolo POP endeusado por milhões, mas ali estava um mestiço, (marrom, como ele mesmo se define), magro, sem maiores atrativos físicos, a não ser uma boa performance em oratória e presença em cena.
Brancos, mulatos, negros, hispânicos, ateus, cristãos,judeus, etc, olhavam como crianças de narizes colados numa vitrine de brinquedos, uma “promessa de esperança”, projetada num único homem que , para eles, será a “redenção” e vingança, ao mesmo tempo, depois de tantos erros e asneiras cometidas pelos governos eleitos pela maioria , nestas últimas décadas.
O que explicaria o fenômeno Obama?
Quantos candidatos negros, mestiços, latinos, etc, estavam também concorrendo na mesma cédula de votação? Muitos!
Qual a diferença que os expulsou do páreo, não lhes concedendo nenhum espaço na mídia, enquanto Obama ostentava a mais “bilionária” campanha, jamais vista na história norte-americana?
Como um menino mestiço, nascido de pai negro, queniano e muçulmano, depois criado por outro, asiático, que o colocou numa rica escola islâmica na Indonésia , se formando na mais cara universidade dos E.U.A, foi capaz de representar ou simbolizar algo de “familiar” a tantos eleitores de diferentes raças e estratos sociais?
Como, um rapaz com nome intermediário; “Hussein”, de passado muçulmano, foi profissionalmente “adotado” por dois grandes advogados judeus, que tem um cunhado também judeu, convertido ao Islamismo e maior contribuinte de uma mesquita nos E.U.A, escreveu dois livros sobre si mesmo, nunca administrou sequer um condomínio, um município que seja, aparecendo do nada, mal se elegendo senador, deu o “pulo do gato” para a presidência do mais poderoso país do mundo?
Como e por que o “lobby judaico” (dono de toda a grande mídia, inclusive de todos os estúdios cinematográficos e finanças de Wall Street) patrocinou sua campanha?
Suicídio?
Teria sido isto que provocou a súbita venda de ações que estavam no pico de valorização, às vésperas da eleição, para injetaram na campanha de Obama e criarem uma insegurança pela crise financeira? Afinal, quem são os donos das corretoras e bancos? Que tipo de reação psicológica esta crise causaria aos norte-americanos?
Existe uma frase que ficou famosa e se deve ao “marqueteiro” (James Carlille) (da campanha do ex-presidente Bill Clinton que dizia; “é a Economia estúpidos!”
Ou seja, se a Economia vai bem o presidente será reeleito, se vai mal, a oposição deve explorar este assunto até o extremo, que vencerá.
De “barriga cheia” ninguém quer mudanças!
O povo raciocina pelo estômago e pelo que pode consumir.
A disputa eleitoral estava equilibrada, até o momento em que estourou a crise, o desemprego, a perda de residências, a insegurança quanto ao futuro, etc.
A culpa seria de quem? Do governo, de Bush, a quem reelegeram como um herói no último pleito?
O povo nunca atribui a culpa de suas mazelas a si mesmo, à sua falta de responsabilidade em assumir dívidas que sabe não ter condições de pagar, ao seu ilimitado “consumismo” voraz.
A culpa é dos banqueiros e dos especuladores? Em grande parte SIM, pela irresponsabilidade e ambição criminosa, porém, por outro lado, ninguém é obrigado a aceitar empréstimos e créditos, quando sabe que não poderá quitá-los. Qualquer ignorante tem noção do que tem e do que pode, mesmo desconhecendo a perversa ação dos juros.
O povo pensou que os banqueiros eram idiotas e achavam que poderiam aproveitar o que pudessem desta “ingenuidade”. Sentiu-se “rico”, “poderoso”, consumiu mais, decidiu dar uma de “especulador financeiro” sem nada entender deste complexo mercado. Resultado, catástrofe geral. Milhões de cidadãos entraram comprando, na alta das bolsas, os especuladores profissionais venderam tudo para eles e caíram fora rapidinho carregando seus vultosos lucros.
Sem dinheiro de reserva , “pulverizado” nas bolsas, não há pagamento de dívidas, vem a falência pessoal, a perda do imóvel, do carro e do emprego, pela demissão em massa diante de uma crise, em efeito “cascata”.
Mas e o Obama? Onde ele fica nesta confusão toda? Qual a sua importância como “catalisador” desta insegurança coletiva e desagrado geral?
Por que não um candidato independente, negro, latino ou branco, porém, não patrocinado pelas grandes fortunas e interesses?
Simplesmente por ingenuidade popular e condicionamento subliminar realizado ininterruptamente durante décadas, para preparar os ânimos e destruir resistências, até que o povo aceitasse e se visse representado por um “herói salvador da pátria”, que, pelo menos na aparência, simbolizasse a vitória das minorias, dos intelectuais de esquerda, da classe média, que se julga mais “informada e liberal”, dos eternos insatisfeitos e “do contra”, etc.
Obama é considerado por muitos negros militantes,contrários a sua postura e comportamento um “negro de alma branca”, um negro “clean”, “yuppie”, “arrumadinho”, de “bons modos e maneiras”, que faz de tudo para ser aceito pela elite branca. Comparam Obama ao antigo ator e cantor famoso Harry Belafonte, de uma época em que todos os negros e negras esticavam e empastavam os cabelos, se vestiam como os brancos e não questionavam nada.
De certa forma, Barack Obama e sua mulher repetem este estereótipo “arrumadinho” e “acadêmico” demais, para representarem realmente uma certa etnia ou os erroneamente denominados “excluídos”.
Sob uma outra ótica, a conduta de Obama parece ser a mais correta, ao não “incorporar” elementos “afros”,evitar impor valores estranhos à média de costumes e hábitos da cultura norte-americana majoritária, nem destoar de sua posição de cidadão bem formado e educado, que não precisa usar cabelos “Rastafari” nem rodopiar no chão, como um certo ex-ministro-cantor, costuma fazer, inclusive “ciscando”, dançando que nem galinha D’Angola no palco da ONU, como se fosse um ministro de Uganda.
Mas, como um mestiço de origem e educação muçulmana, vinculado a um pastor radical, racista negro e um escroque, com uma tia imigrante ilegal, conseguiu, e os demais negros candidatos não, nem o “carismático” pastor Jackson, que participou de outras eleições e nada conseguiu?
Não é difícil adivinhar.
Muito dinheiro de patrocínio!
Campanha psicológica subliminar realizada por décadas pela indústria cinematográfica, mostrando em diversos filmes famosos, um negro, competente,decidido e honesto na presidência dos E.U.A.
Qual seria o intuito oculto dos grupos que dominam a mídia?
Não repararam ainda que todos os “filmecos” produzidos que tratam de jovens em universidades, escolas, etc, sempre mostram os norte-americanos “típicos”, o estereótipo de uma maioria branca, cristã, conservadora, como os “vilões”, louros, de olhos claros, ambiciosos, arrogantes, preconceituosos e burros? Os “sabichões”, “espertos”, “bonzinhos”, sempre são os mestiços, judeus, hispânicos, negros, latinos, morenos, etc. Daí veio o preconceito artificialmente criado das “louras burras”, “louras platinadas, oxigenadas”, coisa bem antiga, inventada logo depois do término da segunda grande guerra mundial, pelos produtores de Hollywood, para “enfraquecerem” a auto-estima dos norte-americanos, por receio que também os E.U.A se tornasse uma nova Alemanha de “raça pura” superior, contrária aos interesses de domínio de certos grupos de grande poder financeiro, vindos da Europa.
Estes grupos de interesses têm “visão de águia” enxergam longe, atacam como um "falcão", quando encontram sua presa, “criam”, apóiam e ajudam elementos promissores, por décadas , geralmente pessoas ambiciosas, originárias ou que simbolizem os estratos sociais menos favorecidos, que possam depois ser manipuladas como “fantoches” , ao bel prazer de seus objetivos ocultos.
Aquele povo tradicional, de ruas ordeiras e seguras, casas com jardins gramados,sem muros, ranchos ou fazendas bem cuidados, que trabalha duro, sem empregados domésticos, até os filhos trabalham, que vai à igreja aos domingos, os vizinhos se ajudam e construíram o império norte-americano, está prestes a ser extinto, já corroído pela degeneração de costumes e valores impostos pela mídia, pela diminuição populacional perante os descendentes de imigrantes e contínuo bombardeio cultural dos grandes centros urbanos, "exportadores" do caos, da violência e imoralidade.
Cresci em convívio estreito com a colônia norte-americana, vivi lá, em Los Angeles, Califórnia, conheço praticamente todo os E.U.A, tenho centenas de parentes americanos natos, porém, sou brasileiro, não sou louro nem tenho olhos claros, mas, do mesmo modo que pleiteiam que as diferenças sejam respeitadas, também não posso aceitar que a maioria norte-americana seja rotulada como reacionária, conservadora, racista, radical e ignorante.
Respeitemos os valores, hábitos, crenças e costumes de cada um, para sermos respeitados.
Prejulgar e rotular pessoas é arrogância e complexo de superioridade!
Obama venceu, se governará, não sei até quando, se é uma esperança ou farsa, o povo julgará no seu devido tempo e hora.

33 comentários:

Sol disse...

Homero,

Fiz esta mesma pergunta dezenas de vezes, O que Obama tem de diferente em relação aos exs candidatos negros que apareceram nesses últimos anos?Penso o seguinte:

Obama é o fruto de uma relação interracial,mãe branca, pai negro,e padrasto amarelo, absorveu o que há de melhor e mais forte nessas tres raças.Foi instruído e educado a procurar entender hábitos e costumes diferentes.

É um homem com inteligencia acima da média, estudou em boas escolas, formou-se numa das melhores universidades do mundo, como profissional foi muito bem suscedido, engajou-se em projetos socias, defendendo pessoas que antes de serem negras ,eram pobres e a pobreza não tem cor.

Começou sua campanha usando um meio de comunicação,desprezado por muitos políticos tradicionais: A Internet, falando para uma população tão jovem, quanto miscigenada.

Se é um novo "messias" só o tempo dirá antes disso, é leviano e irresponsável julgar, mas acredito que boa parte de sua vitória, se deve a política quadrada de George Bush,um homem que como o nosso "digníssimo" tem orgulho da própria ignorancia, e a falta de diplomacia, o fez parecer arrogante demais.

Sinceramente não acredito que Obama vá solucionar todos os graves problemas que a economia americana está passando afinal, tudo isso é reflexo de algo que começou lá trás de forma desordenada e irresponsável.

Mas, penso sim, que ele encontrará muita ajuda por parte de quem o financiou,o que importa de verdade nesse momento, é a mudança de postura e comportamento do povo americano, indo as urnas, votando mesmo não sendo obrigatório, dizendo não a guerra,a falta de preocupação com o meio ambiente,pelo menos para mim, dois pontos fundamentais.

Ele já demonstrou ser um vencedor, com carisma e simplicidade, conseguiu unir milhões de pessoas,diferentes e com história de vida diferente.
Como diria a minha avó, Que Deus o abençoe por isso.

Se pudesse pedir algo, pediria que construissem um Obamamóvel para ele,ainda tenho receio dos mais radicais, por mais que digam que não,sei lá, não custa nada prevenir.

Se ele terá sucesso nessa empreitada? conto com as suas previsões,está disposto a isso?

Solange

Homero Moutinho Filho disse...

Sol.

-Previsões para ele já fiz até dias depois da posse em 20/01/2009.
Confesso que não sei se continuará vivo.

Homero Moutinho Filho disse...

Sou contra segurança de presidentes. São seres humanos como nós, eleitos por nós e devem se arriscar como nós no cotidiano.
Quem tem medo de morrer não seja papa nem presidente e vá plantar batatas que é mais seguro.
Só confio em homens que não temem a morte.

Homero Moutinho Filho disse...

SOL.

-Obama já começou mal.
É medroso. Discursou na festa de consagração entre o seu povo, cercado de paredes de vidro a prova de balas.
Eu não faria isto, desceria do palco e percorreria a multidão agradecendo e , se morresse, tanto faz, viraria mártir.
Jesus assim o fez e se sacrificou.
Lembra daquele papa que só durou uns dias, por ter descido da "liteira" e descalço percorrido junto ao povo o trajeto? Foi envenenado pelos seus iguais da Igreja por ter sido tão humilde e modesto. Um "péssimo exemplo" para o poder religioso católico.
Homem que é homem, ou é macho ou peça a Deus e ao Diabo que o carreguem, para deixar de ser frouxo!

Sol disse...

Homero!

Quem criou e porque criaram as leis para dar segurança aos mandatários? não foi a toa, todos são "covardes" quando se trata da própria vida, ninguém quer ser mártir, querem as regalias, o poder e todos os benefícios que o alto posto favorece, a começar com os Papas que na Idade média casavam, tinham amantes e filhos , não que hoje seja diferente, por trás das cortinas as "coisas" continuam mas....para esconder o medaço do povo, se escondem sobre o manto da"otoridade" é preciso manter o "ar" de um ser intocável, e não de um frouxo.

Solange

Sol disse...

Não havia entendido o que estava escrito hoje nos jornais sobre Obama ter discursado sob uma blindagem, quer dizer que já começaram a "protege-lo"? só espero que essa proteção não seja apenas por precisarem de "um boi de piranha", quando a economia americana for irremediavelmente para o saco.
Estou sendo maldosa?

Solange

Homero Moutinho Filho disse...

Sol.

-Reparou que o Obama deixou de sorrir e fazer piadinhas?
Fez pose de presidente e até disse que compraria um cachorro para suas filhas, igualzinho ao ex-presidente John Kennedy no discurso de posse?

Homero Moutinho Filho disse...

Sinceramente, penso que a nação norte-americana foi injusta com o McCain, pois ele sempre foi um rebelde no partido, moderado,sem preconceitos, não radical, ponderado e contra a política republicana externa de Bush.
Foi um herói de guerra, sofreu o pão que o Diabo amassou,longamente, por anos torturado e com sequelas físicas aparentes.
Pode ter até muitos defeitos, mas é um patriota destemido e perseverante.
"Pagou o pato" por causa daquele destrambelhado nocivo que é o George Bush!

Sol disse...

Sabe que essa comparação com Kennedy me chamou a atenção também , não por ele, mas por um cidadão que disse numa entrevista que o último presidente em que havia votado foi Kennedy, me arrepiei! Não gosto dessas "coincidencias".
É uma mistura danada, discurso de Luther King, postura de Kennedy

Solange

Sol disse...

Não dizem que com porcos se mistura farelos come? Bush ,foi um covardão durante a guerra do Vietnã fugiu do alistamente graças aos contatos do pai.Não conheço McCain essa é a verdade, mas ser vice de Bush não trouxe nenhum benefício, acredito que a minha antipatia por ele tem a ver com a sua opinião sobre manter os soldados no Iraque.Não admiro quem usa a vida do outro, para defender seus ideáis.
Nesse ponto sou radical, quem quer, vá lá e de a cara.

Solange

Homero Moutinho Filho disse...

Eu estava lá nos E.U.A, tinha 11 anos de idade na época do Kennedy, meu pai era diretor de uma compania norte-americana de petróleo e fazia curso de treinamento internacional. Vi Luther King e outros.
Luther King também foi uma farsa, um "boi de piranha" manipulado pelos grupos de interesses e intelectuais, como foi o Lula nas duas últimas eleições.
Precisavam de um mártir, para depois imprimirem um regime mais duro e começarem a guerra do Vietnã através de um presidente democrata sucessor como vice do Kennedy.
A morte de Luther "calou" o movimento civil, mas não impediu o "Black Power" radical que formou milícias guerrilheiras urbanas.
Conheci alguns da época, depois, quando voltei a morar nos E.U.A.
-Sempre arranjam um "boi de piranha", para castrarem a auto-estima e imputarem a culpa em qualquer elemento ou grupo de jovens radicais desequilibrados, influenciáveis.
-Assim foi com o Kennedy, com Bob, com Luther e será provavelmente com Obama.
-Pode crer que, se alguém matar Obama, não será quem apresentarem como algum racista de direita ou radical.
-Os mandantes permanecerão ocultos e dominam os E.U.A.

Homero Moutinho Filho disse...

Sol.

-McCain não é vice de Bush, nunca foi.
-Defendeu a vitória no Iraque sim, mas Obama também defendeu a guerra contra nações "terroristas".

Homero Moutinho Filho disse...

O vice de Bush é Chenney.
McCain foi o único candidato que Bush não simpatizava, porque havia criticado a sua política externa.
Dai Bush ter elogiado a "triunfal vitória" de Obama. Não reparou?
McCain sempre disse; "eu não sou Bush"!
Como um republicano, ele nunca diria isso num debate, pois é uma crítica ao atual presidente.Mesmo que quisesse se "descolar" dele.

Sol disse...

Não sei se voce leu, mas essa semana noticiaram que alguns membros dos "panteras negras" estavam fazendo "segurança" em alguns locais de votação, não sabia que ainda existiam.
Não gosto de "líderes", e muito menos de idolatrias,Luther King só conheci através de filmes antigos,Kennedy foi mais presente na minha infancia mesmo assim, acredito que o mito é muito maior do que o homem.
Nos dois assassinatos penso que, tem as mãos da CIA, nada a ver com retaliações ou radicalismos.

Solange

Homero Moutinho Filho disse...

Sol.

- McCain foi derrotado por George Bush na convenção que escolheu o candidato republicano, lembra?

Homero Moutinho Filho disse...

Tudo teve a "mão" da CIA, inclusive os atentados de 11/09 ao WTC e Pentágono.

Sol disse...

é verdade, o vice é o tal de Dick Chenney, o homem é podre de rico também, fez fortuna com a industria petrolífera, tanto é,dizem que a invasão ao Iraque o favoreceu nos seus "negócios", me lembro de terem comentado sobre uma mansão que ele havia construído numa praia famosa com dinheiro público também.

McCain,mesmo que tentasse, como tentou, jamais conseguiria se livrar do espectro Bush, acredito que a rejeição não foi a ele e sim ao partido e a continuidade .

Solange

Homero Moutinho Filho disse...

Sol.
-Sim e não, pois se a Economia estivesse bem, esqueceriam todas as asneiras de Bush e elegeriam McCain.
É aquela frase que citei; "é a Economia estúpidos"!
O ideal vem depois da barriga cheia,rsrsrs.

Sol disse...

Me lembro da convenção, mas naquele momento o sentimento era de orgulho ferido e de raiva, Bush representava a retaliação, a vingança contra os causadores dos atentados.Será que se eleito McCain teria coragem de invadir o Afeganistão e Iraque como fez Bush, sem se incomodar com a opinião do resto do mundo?

Solange.

Sol disse...

Mas todas as mudanças são feitas a a partir das necessidades,foi assim na Revolução Francesa, barriga vazia, guilhotina cheia.
Cortem lhes a cabeça!!!

Olhava para McCain e via a postura de um derrotado, em sua campanha parecia estar pedindo, os braços sempre entendidos,humilde demais,não demonstrava força.A vice chamava mais a atenção.

Solange

Homero Moutinho Filho disse...

-Uma invasão daquela monta, penso que não. McCain é mais afeito a ações pontuais e intervenções rápidas.
-Ele realmente não é bom de palco. É um ex-militar, não um ator...

Homero Moutinho Filho disse...

Sol.

Impressionante, como assuntos fúteis conseguem 400 comentários facilmente e neste apenas nós comentamos, embora estejamos batendo outro recorde semanal de visitantes que preferem ficar "na moita"...

Sol disse...

Será que inibimos as pessoas que preferem ficar na moita do que vir comentar conosco?

Solange

Homero Moutinho Filho disse...

Sol.

-Sei lá... melhor dormirmos e aguardarmos que saiam da "moita". Rsrsrs.
Bom sono amiga.

Sol disse...

Bom sono amigo, durma bem
abs
Solange

Sol disse...

Homero, boa noite!
Como voce passou o dia "quietinho", espero que tudo esteja bem, com voce e com os seus "bichinhos".

Olha só, a pérola que o nosso digníssimo declarou,

"Espero que o Obama, que acabou de ganhar a eleição com uma força política inédita, não vá gastar um ano sem resolver imediatamente a crise. Agora a crise pode ser debitada no atual governo, mas um ano depois que ele tomar posse é dele também. Acho que ele é suficientemente inteligente para tomar as medidas para evitar que a crise continue", disse Lula.

Meu Deus!!!,será que a Alice (digníssimo)não vai acordar?
Se ele não consegue entender e nem mesmo reconhecer que, aqui a economia também está na corda bamba,como é que se mete a dar conselhos a Obama? e principalmente, a de não conseguir fazer um comentário com o mínimo de concordancia?
Morro de vergonha alheia!!! até quando Jesus?

Solange

Homero Moutinho Filho disse...

Sol.

-Estou "quietinho" porque o trabalho acumulou,rs.

-O Lula não tem jeito...só mesmo m...bem... deixe para lá...rs.

Ceiça disse...

Querido amigo

Realmente seu texto traz reflexões: Quem realmente manda e está por trás do poder (pequeno grupo da elite nos bastidores), iludindo a grande maioria do povo?...

Penso que a ganância dos poderosos e a comunhão da humanidade levou ao consumismo exagerado para uma crise global que será de proporções inimagináveis no futuro bem próximo...

Com certeza a humanidade terá que rever, urgentemente, seus valores, conceitos, etc... e aprender a "não" esperar por um "salvador" e rever a responsabilidade de si mesmo na existência da vida...

Há muitos acontecimentos chegando que vai mudar o "rumo" na vida da humanidade, ou não!?...



P.S.: Realmente é surpreendente como poucos participam de um assunto, estritamente sério e preocupante...

Desculpe o comentário, mas acompanho o blog e reflito como se dá tanta importância pela vida alheia....

bjus

Homero Moutinho Filho disse...

Ceiça.

-É amiga...infelizmente assuntos mais sérios não atraem tanto o interesse.
-Reinaugurei o blog original www.mbne.blogspot.com com este texto.

Sol disse...

Boa noite Homero!

O assunto Obama ,ainda irá perdurar, em sua primeira entrevista alguns trechos me lembrou o "digníssimo", meda!!!

Mas, como estou aprendendo a não criar expectativas e muito menos alimentar ansiedades, vamos por partes!

Ainda é muito cedo para qualquer julgamento, a crise economica é mundial e dificilmente será solucionada em pouco tempo, creio que não será por Obama ou por qualquer outro governante depois dele.

Antes de buscarmos "culpados" ou "salvadores" por que não analisarmos, o comportamento que a humanidade vem tendo nessas últimas décadas?

O que está acontecendo agora, nada mais é, do que o reflexo da busca desenfreada pelo "ter", a humanidade foi sendo estimulada durante esses anos ,a consumir cada vez mais, mesmo que não precise, o homem vive uma fome de possuir, mesmo que depois de conquistar o objeto de desejo,o troque logo mais a frente.

É a humanidade que está precisando de reestruturação, e isso nenhum governante é capaz de conseguir, mesmo que o slogan de Obama seja, "Nós podemos" ou "Eu posso" está faltando perguntar o que? mas,
com certeza a resposta será "ter", dificilmente será "ser".

Não é apenas a economia que está precisando de remédio, é toda a humanidade e não sei porque, isso me fez lembrar de "apocalipse"

Solange

Homero Moutinho Filho disse...

Solange.

-Se algum governante disser isto ninguém vai querer admitir viver de modo errado.
-É o "Apocalipse" mesmo.

Sol disse...

Admito que da bíblia não consigo entender muita coisa, mas sempre evitei me aprofundar na leitura de apocalípse, por receio de entender muito mais as "revelações" destruidoras do que as mensagens de esperança.

Acho que a humanidade está perdendo a humanidade, vejo tudo muito intenso, as paixões, os desejos,as idolatrias mas,tudo sem profundidade nenhuma.

E essa relação superficial, não é apenas com objetos,é com as pessoas também o grau de comprometimento hoje é muito pequeno,agimos de forma irresponsável, como se tudo fosse descartável.

A frase bíblica:"Maldito é o homem, que acredita no homem"nunca foi tão verdadeira.

Solange

Ceiça disse...

Solange

Concordo plenamente com vc. Tudo faz parte de um "ciclo", início, meio e fim que ocorreram e ocorrem há milênios com todas as civilizações existentes no planeta terra....

O universo é impermanente e tudo que o rodeia e tem vida também é.... Só não vê, sente e observa quem não quer...

abços