sábado, 28 de julho de 2007

Nosso "carma"

Alguns poderão perguntar; “até onde poderemos prever o nosso futuro?”.
Claro que isto não pode ser determinado levando em conta as capacidades coletivas, apenas de alguns raros .
Ai seria pertinente a pergunta . “E estas pessoas seriam privilegiadas?”.
Sim .
Embora nem sempre possam dominar o seu “carma” pessoal até se distraiam ao consultarem seus aspectos .
Uma coisa é certa.
Quando o “carma” age , até distrações e enganos ocorrem para quem tenha ou pense que têm o controle total de suas vidas .
Vocês perguntarão; “e os astrólogos e videntes?”.
Mantenho esta resposta anterior , dizendo que o “carma” é superior a qualquer capacidade ou talento , podendo anular uma percepção de pessoas capazes de prever, pois já passei por estas experiências em vida.
Ninguém será tão perfeito e sábio a ponto de iludir o seu carma.
Portanto, além dos cálculos nem sempre percebidos , temos outro desafio que é o nosso carma a ser decifrado e percebido, quando possível.
Nunca jamais saberemos o alcance de um aspecto favorável e positivo para uma pessoa e seu mapa astrológico. Cada uma terá o seu limite e alcance, conforme o seu carma.
Daí que tantas análises e interpretações de charlatães que elogiam seus clientes dizendo que seus mapas são “únicos” e eles têm as maiores capacidades e talentos sejam falsas, pois , na mesma hora e data em que nasceram, muitos outros pelo mundo também nasceram , como na África e estão lutando pela sobrevivência alimentar.
Entendem a razão destas advertências?
Para não serem objetos de exploração e dependência emocional, de quem se comprometa a “resolver seus problemas”.
Por mais que acreditem em alguém, ou depositem no exterior suas esperanças, sempre tenham em si que o principal e mais forte é “ouvirmos o nosso coração”.

3 comentários:

Mônica disse...

acredito ser cármico o interesse coletivo pelo casal Diego-Íris, muito interessante tudo isso !!

Anônimo disse...

Pelo que li no seu texto, carma trata-se da nossa missão nesta vida e não obrigatoriamente algo ruim que devemos passar, como se fala popularmente. Estou correta ou não?

Homero Moutinho Filho disse...

Existe uma diferença entre "Dharma" e "Karma" ou "Carma".
O primeiro seria mais uma "missão" positiva. O segundo é algo do qual não podemos fugir, apenas atenuar ou agir de acordo, compreendendo as lições da vida. Quando o entendemos, um "carma" passa a ser uma "missão" positiva.